Exército Americano em busca de sua nova cavalaria voadora!

A busca de um novo helicóptero de escolta armada e reconhecimento teve início.

O Exército dos EUA procura um novo helicóptero de reconhecimento armado que atravesse o campo de batalha, atuando como os olhos e ouvidos dos comandantes no solo. Planejada para uma introdução na década de 2020, a FARA (Future Armed Reconnaissance Aircraft) daria ao Exército de volta a capacidade para a modernização de helicópteros de reconhecimento em campo.

OH-58D Kiowa Warrior.

Em meados de 2010, o Exército dos EUA retirou sua frota de helicópteros de reconhecimento os helicópteros OH-58D Kiowa, que atuaram como observadores, localizando e identificando forças inimigas para que os helicópteros de ataque AH-64 Apache tivessem seus alvos localizados e assim completarem suas missões com êxito. Mas Os OH-58D foram removidos do inventário do exército e assim teve início a busca de um modelo que seja capaz de suprir essa necessidade ou até melhor.

Estar prevenido é estar preparado e saber a localização das forças inimigas ajudará os comandantes em terra a tomar decisões críticas sobre suas próprias forças.

O Exército quer uma nova aeronave de reconhecimento e de acordo com uma das fontes consultadas, a Breaking Defense, o FARA provavelmente serviria em novas unidades do tamanho de um esquadrão, ou seja, um grupo de 24 a 30 aeronaves. Esses novos esquadrões de cavalaria aérea forneceriam aos comandantes do corpo de exército sua própria capacidade de reconhecimento, contornando e localizando ameaças antes de se aproximarem das tropas amigas no solo. Estar prevenido é estar preparado e saber a localização das forças inimigas ajudará os comandantes em terra a tomar decisões críticas sobre suas próprias forças.

Ainda de acordo com Breaking Defense, esta aeronave poderia se espalhar para as várias unidades existentes em todo o exército dos EUA. Mas como será a FARA?  Três itens que o Exército quer: velocidade (180 a 205 nós), tamanho pequeno (para voar pelas ruas da cidade) e, opcionalmente, tripulado (uma equipe de dois, um ou nenhum). A FARA provavelmente estaria levemente armado com um par de mísseis antitanque, Hellfire e uma metralhadora ou foguetes. O Exército parece ter recuado da exigência de que uma aeronave de reconhecimento seja furtiva, o que foi uma das principais razões pelas quais os custos aumentaram o suficiente para encerrar a utilização do helicóptero de reconhecimento RAH-66 Comanche em 2004.

Uma opção para o FARA é uma versão menor do V-280 Valor, mostrada aqui.

Em notícias relacionadas, o Exército terá o helicóptero de ataque AH-64 Apache em operação até a década de 2040, embora, é cogitada uma possível substituição do AH-64 por uma versão armada do Raider ou Valor. O comandante do Centro de Excelência de Aviação do Exército, o general William Gayler, disse recentemente; “que o momento do substituir o Apache ainda não foi vista e que o Exército está comprando atualmente a versão mais recente do Apache, o AH-64E Apache Guardian .

Fontes: Agências internacionais



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below