Exército Brasileiro participa da 36ª Conferência Bilateral de Estado-Maior nos Estados Unidos

A conferencia contou ainda com a participação de jornalistas de mídias especializadas nacionais, que por meio de videoconferência puderam interagir com participantes nos Estados Unidos

blank
Major general Daniel R. Walrath (à esquerda), comandante-geral do Exército dos EUA do Sul, e o general de Brigada Otávio Rodrigues de Miranda Filho, 5º subchefe do Estado-Maior do Exército Brasileiro, assinam documentos de acordos e um plano anual entre os dois exércitos para concluir as conversações de estado-maior entre os Estados Unidos e o Brasil. Foto: US Army

O Exército Brasileiro (EB) representado pelo 5ª Subchefia do Estado-Maior do Exército, participou no mês de outubro, nos Estados Unidos, da XXXVI Conferência Bilateral de Estado-Maior (CBEM) entre Brasil e Estados Unidos.

O CBEM é uma Programa bilateral anual de Palestras do Estado-Maior do Exército dos EUA, e ocorre desde 1984 com o EB. Essa reunião marca a 36ª vez que os dois exércitos se encontram para conversas que busca promover os esforços de ambos países a fim de desenvolver parcerias profissionais e aumentar a interação entre os exércitos das nações parceiras.

“O Exército Brasileiro é um dos nossos parceiros mais valiosos e estratégicos, não apenas no Hemisfério Ocidental, mas globalmente”, enfatizou o comandante geral do ARMYSOUTH, major general Daniel Walrath.

blank“Nosso relacionamento remonta à Segunda Guerra Mundial, quando os ‘Smoking Cobras’ lutaram ao lado de soldados do Exército dos EUA nos campos de batalha da Europa e continua a durar até hoje. Essas conversas com a equipe estabeleceram as condições para continuar a desenvolver esse relacionamento no futuro”, finalizou.

Imprensa especializada participa de videoconferência

Para um maior entendimento do público brasileiro e um estreitamento de laços entre o EB, o ARMYSOUTH e a imprensa especializada nacional, o Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx) convidou jornalistas de mídias para participarem da videoconferência referente à CBEM.

O evento ocorrido no dia 23 de outubro, contou com a participação do comandante do Exército Sul dos EUA (ARMYSOUTH), major general Daniel R. Walrath; do 5º Subchefe do EME, General de Brigada Otávio Rodrigues de Miranda Filho; e de oficiais dos Exércitos brasileiro e dos EUA.

blankDurante quase uma hora de perguntas e respostas, quatro profissionais de veículos da mídia brasileira especializada em defesa, Revista Tecnologia e Defesa; Defesa Net; Defesa Aérea e Naval; e a Defesa TV, puderam sabatinar os dois generais sobre o que fora acordado durante a CBEM.

Um dos principais acordos assinados entre Brasil e EUA, será o envio de tropas do EB para o Centro de Treinamento de Preparação Conjunta (Joint Readiness Training Center – JRTC), em Fort Polk, no estado da Louisiana, em 2021. E em novembro de 2021, será a vez de tropas do Exército dos EUA virem ao Brasil participar de um adestramento.

“O objetivo dessas reuniões foi plenamente alcançado. Nossos exércitos se beneficiarão dos interesses mútuos, da interoperabilidade e da prontidão combinada de nossas forças”, disse o chefe da 5ª SubCh do EME.

“É uma satisfação ver nossos irmãos americanos compartilharem objetivos comuns na defesa de nossas democracias fortes, compromisso com a paz e estabilidade regional e global”, complementou o general.

blankOperação Acolhida

Perguntado sobre o fato de os EUA não estarem agindo em conjunto com o Brasil na Operação Acolhida, o comandante do ARMYSOUTH, explicou que se deve pelo fato de o Brasil não ter solicitado ajuda a países estrangeiros, mas “reconhece a necessidade, e apoia, a liderança brasileira em relação ao problema dos imigrantes venezuelanos”.

Eleições nos EUA

Questionado sobre a possibilidade de mudança do próximo Presidente dos Estados Unidos, em função das eleições que se aproximam, o major general Walrath declarou que “não importa o resultado das eleições, pois isso não afetará o relacionamento entre os dois exércitos e os acordos firmados”.

Ao término o comandante do ARMYSOUTH enfatizou sobre o encontro, “A força da nossa parceria é baseada na amizade verdadeira; que estendemos esta semana (…) A fraternidade e os valores comuns que compartilhamos nos permitirão continuar trabalhando juntos para proteger nosso modo de vida em nossa vizinhança no hemisfério ocidental.”

Operação Culminating

blankCom previsão para acontecer em fevereiro de 2021, será uma operação inédita entre os dois países, onde uma subunidade de fuzileiros paraquedista¹ da Brigada de Infantaria Pára-quedista (Bda Inf Pqdt), serão inseridos em um batalhão da 82ª Divisão Aerotransportada (82ª Airborne Division), para avaliação de adestramento.

No total, aproximadamente 220 militares brasileiros serão empregados neste adestramento. Durante o exercício, serão realizadas ações ofensivas e defensivas, empregando a simulação viva, amparada por dispositivos de simulação e engajamento tático. As missões ocorrerão dentro de um contexto de combate convencional, com as ações das forças participantes, realizadas em dupla ação.

(1) A subunidade será composta por militares das Unidades Paraquedista, pertencentes a Brigada de Infantaria Pára-quedista.