Exército Brasileiro perto de adquirir helicópteros leves de ataque

Imagem meramente ilustrativa

O Exército Brasileiro está considerando a vir obter, helicópteros de médio porte de ataque, para atender a dois requisitos de seu Programa Estratégico de Aviação do Exército (PEE Av Ex). Os testes, com as aeronaves de alguma das empresas candidatas, foram conduzidas pelo Grupo de Testes e Avaliações (GEA) do Comando de Aviação do Exército (CAvEx), e os resultados estão sendo analisados. O programa PEE Av Ex, que foi implementado em 2017 a um custo de U$S 1,3 bilhão (R$ 4,9 bilhões), está programado para ser concluído em 2039. O projeto ‘Obtenção de Capacidade de Ataque’ envolve a aquisição de 12 a 24 helicópteros de ataques/assalto a partir de 2021, em vez de 2031, como era previsto inicialmente.

* Com informações do site IHS Janes, Por victo Barreiras. 
* Tradução e Adaptação: DefesaTV

23 COMENTÁRIOS

  1. Mesmo se vier usados ,eles teriam que passar por manutenção,modernização e ainda tem o treinamento dos pilotos e mecanicos,sem falar na papelada envolvida e não esquecer de investimentos em infra-estrutura,mesmo se o equipamento for usado não quer dizer que não existe toda uma logistica de recebimento.

    • Não, não precisa.

      Nossa necessidade é muito menos do que isto, porquê não existe nenhuma ameaça que justifique esta quantidade.

      Além disto não há dinheiro para adquirir e manter 4 mil helicópteros de ataque.

  2. Quero deixar, também, minha preocupação. As FA não podem se ressentir e nem postergar gastos sabendo das necessidades atuais. Ao mesmo tempo que vivemos tempos de crise econômica os outros países priorizam a segurança, acredito que o Brasil deve formar pilotos e demais elementos de apoio de forma intensiva. Além de tudo, a iniciativa privada tem falta de bons profissionais e nesse caso poderia fazer convênios para auxiliar a pagar essas despesas. Não sei como está hoje o caso de motoristas de Carros de Combate, também um profissional escasso. Abraços. Até breve.

  3. Se tivéssemos investido em tecnologia própria , pois já a possuímos , já estaríamos bem adiantados na fabricação do nosso próprio helicóptero !!! Nunca é tarde pra se começar.

  4. […] Antevendo um mercado promissor na América Latina, a empresa turca Turkish Aerospace Industries (TAI) irá trazer ao Brasil um exemplar do seu helicóptero de ataque T-129 ATAK. A aeronave é fruto de uma parceria de desenvolvimento com a empresa italiana Leonardo. O helicóptero irá realizar demonstrações nas cidades de Brasília (DF) dia 28 de março e de Taubaté (SP) dia 26 de março, mais precisamente no Comando da Aviação do Exército. O Exército Brasileiro, testou recentemente um exemplar visando a compra de helicópteros de ataque, para compor sua aviação. […]

  5. O território brasileiro é muito grande para termos somente 12 helicópteros de ataque. Enquanto países minúsculos como Itália com 59 e frança com 56 helicópteros de ataque se mechem para ampliar a sua força de ataque. E não me venham com essa que o Brasil é um país pacifico, isso não é desculpa para ser despreparado.

  6. Para falar a verdade, nossas forças armadas demora muito para se decidir o que comprar.
    Fica naquele empurra empurra, esperando quê só Deus sabe…
    No final nada compra, nada moderniza as forças armadas e fica dependendo de sucatas.
    Notei que as forças armadas não é como as forças armadas de países como Índia e Chile e tantos outros que investem e moderniza suas forças equipam bem as suas tropas…
    Dessa forma, como o país pretende ingressar na OTAN? Como pretende se impor na America latina agindo coo se estivesse em feira praticando XEPA? É a velha burocracia somada a morosidade e a falta de indecisão de querer comprar equipamentos modernos que estagnaram as forças armadas. Há meu ver parece que as facões criminosas deste país tem mais acesso a tecnologias e armas modernas que as tropas brasileiras. Se o pais quer ter uma força expressiva e imponente no continente, igualando-se a países como França e Reino Unido e até a própria Índia que esta tendo um renovação surpreendente, tem que ter equipamento ultramoderno e não adquirindo coisa barata que não intimida ninguém.

  7. Para falar a verdade, nossas forças armadas demora muito para se decidir o que comprar.
    Fica naquele empurra empurra, esperando quê só Deus sabe…
    No final nada compra, nada moderniza as forças armadas e fica dependendo de sucatas.
    Notei que as forças armadas não é como as forças armadas de países como Índia e Chile e tantos outros que investem e moderniza suas forças equipam bem as suas tropas…
    Dessa forma, como o país pretende ingressar na OTAN? Como pretende se impor na America latina agindo coo se estivesse em feira praticando XEPA? É a velha burocracia somada a morosidade e a falta de indecisão de querer comprar equipamentos modernos que estagnaram as forças armadas. Há meu ver parece que as facões criminosas deste país tem mais acesso a tecnologias e armas modernas que as tropas brasileiras. Se o pais quer ter uma força expressiva e imponente no continente, igualando-se a países como França e Reino Unido e até a própria Índia que esta tendo um renovação surpreendente, tem que ter equipamento ultramoderno e não adquirindo coisa barata que não intimida ninguém.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below