Exército Israelense responde ataque com fogo de artilharia contra posições terroristas no Líbano

blank
Corpo de Artilharia em Gaza As forças de artilharia do IDF disparam contra a Faixa de Gaza como parte da Operação Protective Edge. Foto via IDF.

Em 4 de agosto, três foguetes foram lançados do sul do Líbano, com um falhando no meio do caminho e dois pousando em território israelense.

Um incêndio irrompeu em uma área aberta no assentamento de Kiryat Shmona, onde um dos foguetes caiu. O serviço de ambulâncias Magen David Adom de Israel disse que não houve vítimas como resultado do ataque.

No Twitter, as Forças de Defesa de Israel anunciaram que responderam ao ataque com uma série de ataques de artilharia no sul do Líbano.

De acordo com Ali Shoeib, repórter da TV al-Manar, afiliada ao Hezbollah, pelo menos seis projéteis de artilharia de 155 mm aterrissaram no Vale Kiam, no sul do Líbano. Nenhuma perda foi relatada. Os foguetes foram lançados da área.

Oficiais de defesa israelenses especulam que o Hezbollah não estava por trás do ataque com foguetes, e sim as facções militantes palestinas, de acordo com o diário israelense Haaretz.

Este não foi o primeiro ataque desse tipo neste ano. Durante o ataque israelense à Faixa de Gaza palestina em maio passado, quatro ataques com foguetes do Líbano atingiram o norte de Israel. Um quinto ataque ocorreu em 20 de julho após uma série de ataques israelenses na governadoria de Aleppo, no norte da Síria.

O novo ataque pode estar relacionado à escalada atual entre Israel e Irã, que começou após o ataque de drones em 30 de julho ao navio-tanque MERCER STREET no Mar Arábico. O ataque em si foi supostamente uma resposta aos ataques israelenses de 21 de julho na governadoria central síria de Homs.

  • Com informações IDF Israel, ISrael I24 News, STF Analysis & Intelligence, Sky News, The Times, Dailyaz via redação Orbis Defense Europe.