FAB realiza resgate de tripulante em navio na costa cearense

Fotos: Capitão Leir e Tenente Varela / 1º/8º GAV

Missão foi realizada por tripulação do 1º/8º GAV – Esquadrão Falcão, nesta sexta-feira (24). O Esquadrão Falcão (1º/8º GAV), sediado na Ala 10, em Parnamirim (RN), resgatou, nesta sexta-feira (24), um tripulante filipino com suspeita de pancreatite aguda, a bordo de um navio que veio de Nova Orleans, nos Estados Unidos, com destino a Santos (SP). O navio navegava na costa brasileira, próximo ao estado do Ceará.

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), organização da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável pela coordenação de missões aéreas, acionou o Esquadrão após o contato do Centro de Coordenação de Salvamento Aéreo (SALVAERO) de Recife.

O navio Halcon Trader, originário das Filipinas, foi localizado a 325 Km da costa brasileira, próximo à cidade de Fortaleza (CE).

A aeronave H-36 Caracal decolou de Parnamirim (RN) às 8h40 e voou até a posição do navio para realizar o resgate. O helicóptero manteve o voo pairado enquanto os homens de resgate SAR (do inglês, Search and Rescue – Busca e Salvamento) desceram até o convés, imobilizaram o tripulante do navio e o içaram.

Ao final, o Esquadrão transportou o paciente para o Aeroporto Internacional de Fortaleza, sendo transferido, em seguida, de ambulância, para um hospital da capital cearense para receber atendimento médico especializado. Toda a operação teve duração de três horas de voo.

A tripulação do helicóptero, formada por 11 militares, sendo dois pilotos, um mecânico, dois operadores de equipamentos, três homens de resgate, dois médicos e uma enfermeira, usou trajes especiais para minimizar o risco de qualquer contaminação.

De acordo com um dos pilotos da aeronave FAB 8517, Tenente Aviador Thiago de Almeida Campos, a primeira coisa que vem à cabeça, depois de cumprir uma missão como essa, é o sentimento de dever cumprido e a sensação de que valeu a pena todo o esforço exigido. “Além disso, o tempo é valioso nesse tipo de missão.

Então, a gente se prepara para fazer tudo da maneira mais eficiente e célere possível para não gerar uma complicação para a vítima, que já está numa situação delicada de saúde”, declarou o Tenente Thiago Campos.

“Treinamos, incansavelmente, com a finalidade de salvar vidas. É a satisfação do dever cumprido. É, também, um orgulho, por sabermos que estamos preparados para atuar em um momento como esse”, destacou o Sargento Mauro Campos da Rocha, homem de resgate da missão.

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da Força Aérea realizam treinamentos regulares.

Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem papel relevante. Como Comando Operacional encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica, também coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à FAB.

Fotos: Capitão Leir e Tenente Varela / 1º/8º GAV

Vídeo: 1º/8º GAV

Infográfico: SDPP/CECOMSAER

Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Flávia Rocha
Edição: Agência Força Aérea – Revisão: Major Monteiro


Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

 

Caso deseje conversar com outros usuários escolha um dos aplicativos abaixo:



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail