Força Aérea Brasileira e de mais 13 países planejam exercício de ajuda humanitária “Cooperación VI”

Militares das Forças Aéreas de 14 países americanos estão reunidos em Brasília (DF) para planejar o sexto exercício internacional de ajuda humanitária, previsto para ser realizado em abril, na Argentina. O 32º Comitê do Sistema de Cooperação entre as Forças Aéreas Americanas (SICOFAA) teve início nesta segunda-feira (04/02) e as discussões serão encerradas na próxima sexta-feira (08/02). De acordo com o oficial de enlace do Brasil junto ao SICOFAA, Coronel Aviador Luiz Francisco Tolosa, esta é a terceira fase de preparação de planejamento para o exercício Cooperación VI, que tem como foco ajuda humanitária em caso de catástrofes naturais.

“Esse exercício de cooperação visa treinar o Estado-Maior de uma Força Aérea para apoio em caso de desastres naturais. É importante frisar que essas forças aéreas já operaram combinadamente em alguns desastres nas Américas em casos reais, como o terremoto no México, em 2017. Então, os resultados podem ser vistos na sua totalidade quando acontece algum desastre de grandes proporções e, utilizando esse tipo de treinamento que será feito nesse nosso comitê, há o emprego real em apoio às catástrofes de maneira eficiente e eficaz”, explica o Coronel Tolosa.

Além da preparação para o exercício, segundo o Secretário do 32º Comitê, Coronel Aviador Gerson Aparecido Cavalcanti de Oliveira, também estão previstas para o evento atividades como a atualização do manual de operações aéreas em caso de desastres naturais e do software de lições aprendidas. Na oportunidade, também deve acontecer a definição de temas que serão discutidos na 59ª Conferência dos Comandantes das Forças Aéreas Americanas (CONJEFAMER), que vai ocorrer em junho, em El Salvador. “Essas são as principais atividades do Comitê”, afirma o oficial.

Na abertura do SICOFAA, o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira, deu boas-vindas aos participantes e destacou a importância do evento. “O Brasil não poderia ficar fora dessa iniciativa dentro das Forças Aéreas Americanas, pois entendemos que, nesse tipo de encontro, desenvolvemos novas ligações e entendemos outras necessidades que possamos ter, não só em relação aos desastres naturais, mas também para desenvolver as relações bilaterais do Brasil com as outras forças aéreas, encontrando novas formas de cooperação ou desenvolvimento do atendimento de necessidades que vão além dos desastres, como apoio logístico, apoio de instrução, capacitação. Entendemos que é uma oportunidade de cooperação e o Brasil não poderia ficar de fora pelo gigantismo e pela relevância que tem no âmbito das Américas”, avaliou o oficial-general.

Para um dos representantes da Força Aérea Colombiana, Coronel Danysh Forero, a expectativa é trabalhar com outros países participantes do SICOFAA para que seja possível criar um cenário das situações que podem ocorrer em um futuro próximo. “Esta é uma oportunidade muito importante para a Colômbia, porque estamos planejando o próximo exercício de cooperação real e precisamos ter o planejamento para coordenar a melhor forma de ajudar as pessoas afetadas”, afirma.

Participam da reunião em Brasília os representantes das Forças Aéreas de Honduras, Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Guatemala, Jamaica, México, Paraguai, República Dominicana, Uruguai, além de integrantes da Inter-American Air Forces Academy (IAAFA) e da Secretaria Permanente do SICOFAA (SPS). A Força Aérea Brasileira (FAB) é membro fundador do SICOFAA, organização criada em 1961, que abrange 21 países e tem por finalidade promover e fortalecer laços institucionais, assim como obter o apoio mútuo entre as Forças Aéreas das Américas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Com informações do CECOMSAER e Fotos: Cabo André Feitosa


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below