Força Aérea Brasileira, Embraer e Saab dão inicio a fase de testes supersônicos do caça F-39 Gripen

O primeiro voo do Gripen em solo nacional aconteceu em 24 de setembro, quando à aeronave saiu do aeroporto de Navegantes (SC) para o centro de desenvolvimento da Embraer em Gavião Peixoto (SP)

blank

Google News

A Força Aérea Brasileira (FAB), a Embraer, e a empresa sueca Saab deram inicio no dia 26 de fevereiro, em Gavião Peixoto, aos testes supersônicos do caça F-39 (Gripen-E).

Gavião Peixoto é onde se localiza a fábrica da Embraer e o centro nacional de desenvolvimento da aeronave. Batizado pela FAB de F-39, o caça pode chegar a uma velocidade de até duas vezes a velocidade do som (2.460 km/h), mas a Saab não revela qual a velocidade atingida até agora nos testes no Brasil.

Ao quebrar a barreira do som (cerca de 1.200 km/h) ele produz um ruído alto conhecido como “estampido sônico”, que pode ser ouvido no solo. Para não perturbar a população, os voos estão sendo feitos em uma região menos habitada a noroeste de Gavião Peixoto, a uma altitude de 5 mil metros.

Os testes no momento, ainda estão sendo feitos pelo um piloto sueco de provas da SAAB, já que os militares da FAB ainda estão em treinamento operacional na sede da empresa na Suécia.

O contrato da Saab com a FAB, assinado em 2014, prevê a entrega de 36 aeronaves a um custo de US$ 4,5 bilhões. Destes, 15 caças serão produzidos pela Embraer em Gavião Peixoto. A empresa também está participando do desenvolvimento do Gripen-F, que vem a ser a versão Biplace (dois lugares) do caça.

“A Embraer desempenhará um papel de liderança na execução do programa Gripen no Brasil e será responsável pelo trabalho de desenvolvimento de sistemas, integração, testes de voo, montagem final e entrega das aeronaves”, explicou o CEO da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider.

De acordo com a FAB, o F-39, nos modelos E (monoplace) e F (biplace), “será a mais moderna e avançada plataforma multimissão atuando na defesa do espaço aéreo brasileiro”.

O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, destacou a importância do compartilhamento de experiências por meio da cooperação entre Brasil e Suécia. “O Gripen aumenta a capacidade operacional da FAB e impulsiona uma parceria que fomenta a pesquisa e o desenvolvimento industrial dos dois países”.

  • Com informações de agências nacionais


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: