Força Aérea Brasileira intercepta duas aeronaves suspeitas de transporte de drogas em operações simultâneas

blank

A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, em operações simultâneas, neste domingo (02), duas aeronaves classificadas como suspeitas, segundo informações de inteligência da Polícia Federal (PF)reforçando a capacidade de monitoramento e atuação na fronteira.

As ações, realizadas em conjunto com a PF, envolveram quatro caças A-29 Super Tucano do 3º Esquadrão do 3º Grupo de Aviação (3º/3º GAV) – Esquadrão Flecha, e uma aeronave de vigilância E-99, além de todo o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA).

blankNa primeira ação, uma aeronave monomotormodelo EMB-720 Minuano, foi interceptada a nordeste de Campo Grande (MS). O monomotor foi abordado por um A-29 e passou pelos procedimentos de averiguação e persuasão.

A aeronave foi escoltada até o pouso obrigatório em Rondonópolis (MT), onde a Polícia Federal assumiu as ações. Os pilotos da aeronave foram presos em flagrante e 450 kg de cocaína foram apreendidos.

Na segunda ação, um bimotor B-58 Baron foi interceptado a sudoeste de Campo Grande (MS), sendo orientado a pousar em Três Lagoas (MS).

blankO bimotor não cumpriu as determinações dos órgãos de Defesa Aérea, realizando pouso forçado em campo não preparado, localizado em Invinhena (MS), com cerca de 700 kg de cocaína a bordo.

A abordagem em solo foi feita por policiais federais e militares do Estado de Mato Grosso do Sul, os quais encontraram a cocaína no interior da aeronave. O piloto se evadiu antes da chegada da polícia. Segundo informações extraoficiais, o piloto foi preso pelo tático do 8°BPM.

O Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, classificou a operação como de extremo sucesso.

“Atuamos em duas regiões do país, fazendo interceptações simultâneas. Comprovamos nossa capacidade de controlar múltiplas interceptações e o resultado não poderia ser melhor. Nós comprovamos que o nosso Sistema de Defesa Aeroespacial (SISDABRA) é capaz de desencadear operações simultâneas de defesa aérea onde quer que seja necessário”, ressaltou.

As ações fazem parte da Operação Ostium para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a FAB e Órgãos de Segurança Pública, e em cumprimento ao Decreto nº 5.144 de 16 de julho de 2004.

Fotos: Sargento Bianca/CECOMSAER e Polícia Federal