Força Aérea Brasileira realiza inspeção de helicóptero HM-4 Jaguar do Exército Brasileiro

O helicóptero HM-4 Jaguar, do Exército Brasileiro, passou pela Inspeção Alfa, na sede do Centro Integrado de Manutenção do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo

blank

Google News

O Parque de Material Aeronáutico (PAMA-SP), em São Paulo (SP), com uma tripulação mista de militares do Exército Brasileiro (EB) e da Força Aérea Brasileira (FAB), entregou, no dia 10 de junho, a aeronave EB 5003 para o Batalhão de Manutenção e Suprimento de Aviação de Exército (BMntSupAvEx).

O helicóptero HM-4 Jaguar (H225M) passou pela Inspeção Alfa, na sede do Centro Integrado de Manutenção localizado no PAMA-SP. A aeronave será alocada no 1º Batalhão de Aviação do Exército (1º BAvEx).

O Subtenente Alexandre Andrade da Cruz, inspetor e operador da aeronave, que serve há 25 anos na Aviação do Exército, comentou acerca da inspeção.

blank“A realização das inspeções de 36 a 96 meses deixa a aeronave em condições de realizar as mais variadas operações em nossa Força Terrestre, resultado da presença de uma equipe de militares dedicados e comprometidos com a missão”, disse.

Linha de revisão de helicópteros

O PAMA-SP abriga em suas instalações o Centro Integrado, que tem como missão atender inspeções programadas. Como exemplo, tem-se a inspeção A/T (Alfa Tango), que ocorre a cada 36 meses ou 1.200 horas de voo, o que ocorrer primeiro.

A Linha de Revisão de Aeronaves é formada por militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, com o objetivo de integrar os esforços materiais e humanos no apoio logístico dos helicópteros das Forças Armadas. Ao todo, são 37 aeronaves distribuídas pelas três Forças no Brasil.

No Centro Integrado de Manutenção, a aeronave EB 5003 cumpriu inspeção programada que permitirá a disponibilidade de três anos de operação para o Comando de Aviação do Exército.

No EB, a aeronave H225M recebe a designação HM-4 Jaguar, sendo este um vetor multimissão, o qual pode ser empregado pelas diversas organizações do Comando de Aviação do Exército para cumprir missões de ataque, reconhecimento, segurança, Garantia da Lei e da Ordem (GLO), incursão, infiltração e ações de busca e salvamento.

A entrega

Após a conclusão da inspeção, os voos de ensaio foram realizados pela tripulação mista composta pelo Capitão Aviador Leonardo Gomes de Faria e pelo Capitão Aviador Rubens Vilela dos Santos Neto, ambos da FAB, e pelos mantenedores do EB, Subtenente Neymes, Sargento Gervásio e Sargento Pablo.

blankEstes voos de ensaio têm como objetivo verificar e corrigir os parâmetros de vibração da aeronave, além de checar o desempenho dos motores e o correto funcionamento dos demais sistemas embarcados da aeronave.

O Chefe da Linha de Revisão, Capitão Aviador Leonardo Gomes de Faria, ressaltou o comprometimento, a capacidade técnica e o profissionalismo por parte dos militares do Exército Brasileiro envolvidos na inspeção “A” da aeronave EB 5003, ocasião na qual os militares trabalharam destacados de sua unidade, principalmente em um período abalado pela pandemia causada pela COVID-19.

O Capitão Aviador Rubens Vilela dos Santos Neto enalteceu o trabalho realizado pela equipe responsável pela inspeção da aeronave EB 5003 e destacou a padronização dos tripulantes para a realização dos voos em tripulação mista.

O deslocamento

O helicóptero de matrícula 5003 decolou do Aeroporto de Campo de Marte, realizou procedimento de aproximação ILS (do inglês, Instrument Landing System) no Aeroporto de São José dos Campos e, logo após, seguiu para pouso final no Aeródromo de Taubaté para entrega ao 1º Batalhão de Aviação do Exército (1º BAvEx).

blankEsta é a segunda aeronave entregue ao Comando de Aviação do Exército, o que reforça o compromisso de atender as necessidades das organizações militares em manter a disponibilidade de suas aeronaves e viabilizar o cumprimento das missões inerentes às Forças Armadas.

“Ao concentrar esforços materiais e humanos em um Centro Integrado de Manutenção, o Exército, a Marinha e a Aeronáutica buscam a configuração para cumprir o estabelecido na Política Nacional de Defesa e na Estratégia Nacional de Defesa, mantendo sempre o foco na interoperabilidade necessária ao atendimento do interesse da Sociedade Brasileira e da Defesa Nacional”, comentou o Diretor Interino do PAMA-SP, Coronel Aviador Anderson da Silva Nishio.

  • Com informações do Cecomsaer, Foto: Sargento Souza Ramos e Sargento Queiroz/ PAMA-SP


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank
blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: