Força Aérea Brasileira reativa Comando Aéreo Amazônico, em Manaus (AM)

As modificações fazem parte da Diretriz do Aprimoramento da Reestruturação do Comando da Aeronáutica (COMAER). 

blank

A cerimônia militar de reativação do VII COMAR – Comando Aéreo Amazônico ocorreu nessa terça-feira (2), na Base Aérea de Manaus (BAMN), que também teve suas atividades retomadas no fim do mês de fevereiro.

Os objetivos são separar as atividades administrativas das operacionais, elevar o nível de prontidão operacional e a capacidade de dissuasão, além de restabelecer a representatividade regional da Força Aérea na região Norte.

A solenidade ocorreu com a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, e demais Oficiais-Generais, Comandantes, Chefes e Diretores de Organizações Militares.

Transmissão de cargo e assunção de comando

blankO então Comandante da Ala 8, em Manaus (AM), Brigadeiro do Ar Luiz Guilherme da Silva Magarão, deixou a função para assumir como Comandante do VII COMAR. O ato foi presidido pelo Secretário de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar José Augusto Crepaldi Affonso, que destacou a importância da reativação da Unidade militar.

“O Comando Amazônico possui a missão de resgatar a referência e a representatividade do Comando da Aeronáutica no nível regional, além de assegurar a qualidade das atividades de apoio administrativo das Organizações subordinadas, de modo a fornecer o completo apoio administrativo para o cumprimento da missão da Força Aérea no Norte do nosso País”, salientou.

O novo Comandante do VII COMAR, Brigadeiro do Ar Magarão, salienta que a reativação faz com que a Força Aérea esteja presente nos estados do Amazonas, Rondônia, Roraima e Acre, contribuindo de forma decisiva para a integração e o desenvolvimento da região, diante de suas dificuldades de logística e de infraestrutura.

Novo Comandante da Ala 8

Passa a assumir o Comando da Ala 8, o Coronel Aviador Luiz Ângelo de Andrade Pinheiro Borges. A cerimônia de transmissão de cargo foi presidida pelo Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando Aguiar, que comentou sobre a atuação da Unidade Militar.

“O apoio às questões de ordem nacional, vide a atual pandemia, o volume de esforço aéreo empregado, o número de profissionais envolvidos, os diferentes vetores, a gama de missões, as características da região e o fato de ser o maior hub aeroportuário militar da região Amazônica, tornam a Ala 8 uma organização ímpar, e de fundamental importância para o País e para os objetivos da Força Aérea Brasileira”, destacou o Oficial-General.

O novo Comandante da Ala 8, Coronel Ângelo, destacou a relevância da Organização Miliar para o cumprimento das missões da Força Aérea.

“Atuamos em um dos cenários mais complexos do País, quanto a infraestrutura, distâncias e meteorologia. Possuímos Unidades Aéreas com vocações operacionais distintas: Caça, Transporte e Asas Rotativas, porém complementares; uma organizada estrutura logística; além de meios humanos e materiais para garantir a segurança e defesa necessárias. Não à toa, demonstramos o alto grau de adestramento e de prontidão de nossas equipes, no último chamado do País, na Operação COVID-19 nos meses de janeiro e fevereiro do corrente ano”, comentou.

A Ala 8, desde o início de 2021, tem sido ponto de pousos e decolagens para o cumprimento das missões da Operação COVID-19 – como o transporte de cilindros e oxigênio líquido para hospitais.

Já ocorreu, também, a transferência pacientes para outros estados, em aeronaves da FAB. A intenção destas ações, que envolve diuturnamente o efetivo e são coordenadas pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), está em minimizar os impactos do novo Coronavírus no sistema de saúde.

  • Com informações do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica. Com colaboração da Aspirante Wanessa Liz; Fotos: Sargento Bianca Viol/CECOMSAER; Vídeo: Soldado Chagas/CECOMSAER