Força Aérea Brasileira recebe primeira aeronave KC 390

Após 10 anos de desenvolvimento e entendimentos entre a Força Aérea Brasileira (FAB) e a empresa aeronáutica Embraer, a primeira aeronave KC-390 será entregue nesta quarta-feira (4).

A cerimônia de entrega, que terá a presença do presidente da república, irá acontecer na Ala 2 (GO) para onde o Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) fora transferido recentemente proveniente da Ala 11 (RJ).

Aeronave pode ser utilizada em vários cenários

O KC-390 é um avião de transporte de tropas e cargueiro militar, sendo ele o maior modelo de avião já desenvolvido pela Embraer.

Com capacidade para até 80 soldados, ou três veículos blindados ou um helicóptero de porte médio, a aeronave pode ser utilizada em vários tipos de cenários como: lançamento de paraquedistas e cargas, reabastecimento em voo, combate aéreo a incêndios, evacuação aeromédica e busca e salvamento.

Esta grande versatilidade da aeronave se traduz, no quanto tão rápido ela pode ser reconfigurada. Dependendo da missão que seja requisitada ela pode estar pronta em até três horas.

A nova aeronave ira substituir os antigos Lockheed Martin C-130 Hércules. A FAB fez uma requisição para obtenção de 28 unidades, e a expectativa é que todos sejam entregues até 2024.

Crise e incidente atrasaram entrega

A primeira entrega, que acontece no dia de amanhã (04), ocorre com três anos de atraso em relação ao previsto no início do projeto. Anunciado pela primeira vez em 2007, o desenvolvimento do projeto começou efetivamente em 2009. A previsão inicial era de que a primeira entrega ocorresse em 2016.

A crise econômica, no entanto, fez com que o governo brasileiro adiasse o projeto. Em outubro de 2017, a campanha de testes do KC-390 passou por seu momento mais crítico.

Durante um voo de teste de estol (perda de sustentação em voo), o avião sofreu um incidente que quase se tornou um acidente fatal. A aeronave sofreu uma queda de 2.600 metros em apenas 24 segundos.

Os pilotos conseguiram recuperar o controle a apenas 300 metros do chão. Após o incidente, a aeronave conseguiu pousar em segurança na pista de Gavião Peixoto, no interior de São Paulo, uma das sedes da empresa. No entanto, o avião sofreu alguns danos sérios.

A aeronave ficou parada quase cinco meses, até março de 2018, para a substituição de peças como carenagens externas e janelas de inspeção. Dois meses após retornar às atividades, o mesmo avião sofreu um novo incidente. Desta vez, o KC-390 saiu da pista de Gavião Peixoto durante testes de solo. Os danos forçaram a parada definitiva do avião.

Para continuar a campanha de certificação, a Embraer passou a utilizar o primeiro avião de série do modelo, o mesmo que será entregue nesta quarta-feira à FAB. O KC-390 recebeu a certificação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) em outubro do ano passado.

O programa de certificação do modelo levou sete anos, com a verificação de mais 2.500 requisitos e mais de 2.000 horas de voo.

Joint Venture com a Boeing

O KC-390 tem uma importância fundamental para a nova fase da Embraer. O avião faz parte da divisão de Defesa e Segurança, área da Embraer que não fez parte da Joint Venture com a Boeing. No entanto, as duas empresas fizeram um acordo comercial para alavancar as vendas do KC-390 a outros países.

A Embraer vai criar uma nova joint venture com a Boeing para tratar exclusivamente da comercialização e manutenção de aviões do modelo. O negócio terá 51% de participação da Embraer e 49% da Boeing.

Em julho, Portugal foi o primeiro país estrangeiro a oficializar a compra do KC-390. O negócio envolve cinco aviões e um simulador de voo da Embraer por € 827 milhões. As entregas estão programadas para começar em 2023.

You may also like



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below