Forças Aeroespaciais Russas efetuaram mais de 550 ataques contra terroristas na Síria em agosto

blank
Imagem da movimentação intensa da Aviação de ataque russa na base de Khmeimim na Síria. Imagem de captura de tela de vídeo da RT Russian Television.

As Forças Aeroespaciais Russas (VKS) continuam sua cruzada aérea sobre a Grande Idlib e a Síria Central.

A VKS tem apoiado as operações do governo sírio contra o ISIS, rebeldes e proxyes da Turquia na região central há cerca de dois anos. Mais de 550 ataques aéreos russos atingiram alvos e instalações do ISIS no centro da Síria em agosto passado, de acordo com um relatório recente do SOHR (Observatório Sírio para os Direitos Humanos). Os ataques aéreos recentes mataram nove terroristas e feriram outros 20.

Centenas de terroristas do ISIS ainda estão escondidos no centro da Síria, principalmente no deserto de Homs. O deserto áspero fica entre o leste de Homs e o oeste de Deir Ezzor. Os terroristas supostamente recebem suprimentos de combatentes apoiados pelos EUA baseados na área de al-Tanf, no sudeste da Síria, onde a coalizão liderada pelos EUA mantém uma guarnição que não ajuda em nada os esforços contra os terroristas islâmicos.

Graças às operações de combate da VKS, bem como às repetidas operações de varredura pelas forças do governo sírio, a situação na região central melhorou recentemente. No entanto, a insurgência do ISIS provavelmente não terminará tão cedo.

Somente em 01 de setembro, sete aviões da VKS realizaram mais de 25 ataques aéreos sobre as células ISIS na vasta região central da Síria. De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (SOHR), os ataques aéreos atingiram esconderijos fortificados do grupo terrorista no triângulo Hama-Aleppo-Raqqa.

Mais de 550 ataques aéreos russos atingiram células do ISIS no centro da Síria em agosto passado, de acordo com um relatório recente do SOHR. Os ataques aéreos mataram centenas de terroristas, feriram outras centenas e destruiram instalações diversas.

A principal característica dos ataques das Forças Aeroespaciais Russas é a tríade; “levantamento de informação para designar os alvos, planejamento da força a ser aplicada e a precisão dos ataques”, com a quantidade suficiente de bombas, para não causar destruição desnecessária quando os alvos são próximos aos vilarejos ou bairros civis. E essa fórmula tem dado excelentes resutados na relação “custo x benefício”.

blank
Imagem de captura de tela de vídeo SOHR/STFH Analisys & Intelligence.

A outra direção da atividade de ataque aéreo é a região da grande Idlib, em esforços para conter o grupo terrorista islãmico Hay’at Tahrir al-Sham (HTS), um associado da Al Qaeda e proxy da Turquia.

Jurin foi uma das várias cidades controladas pelo governo em torno da Grande Idlib que foram bombardeadas pelo HTS e seus aliados. De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, os militantes dispararam mais de 50 projéteis de artilharia, morteiros e foguetes contra essas cidades.

Poucas horas antes, na noite de 31 de agosto, uma velha mina terrestre explodiu na área sob controle militante na zona rural de Idlib, na Síria. Como resultado da explosão, um homem e seu filho foram mortos, enquanto seu segundo filho ficou ferido.

A escalada constante na região impede que qualquer desminagem ou outros procedimentos de segurança sejam realizados, obrigando os civis a arriscar suas vidas diariamente.

Em vez de impor o cessar-fogo e ajudar a população local, as Forças Armadas turcas estão lutando sua própria guerra e apoiando diretamente os grupos militantes afiliados à Al-Qaeda no norte da Síria.

Em 30 de agosto, o exército turco e seus proxyes bombardearam com artilharia a área circundante do campo de refugiados ao norte da cidade de Ain Issa, bem como a aldeia vizinha de Muallaq. As aldeias de Khalidiya, Hoshan, Ma’lek, bem como a rodovia M4 nas proximidades, também foram alvejados.

Em 31 de agosto st , um UAV turco atingiu um posto de controle das forças curdas na cidade de Ain Issa. A cidade é estrategicamente importante como um elo entre as regiões autônomas de Eufrates e Cizîrê. A cidade é regularmente alvo de forças turcas e apoiadas pela Turquia.

Não há fim aparente à vista da luta interminável entre a chamada “oposição moderada” da Grande Idlib e o Exército Árabe Sírio e o VKS russo em uma direção, e a luta constante das forças de Ancara e dos militantes que apóia contra os curdos grupos no outro. O norte da Síria continua volátil e caótico como sempre, com níveis variados de escalada.

Abaixo, alguns vídeos recentes das atividades da aviação de combate russa na Síria:

  • Com informações Russian Federation MoD, The Syrian Observatory for Human Rights (SOHR), SANA Syria, France Inter e STFH Analysis & Intelligence, via redação Orbis Defense Europe/Paris.