França: Urbex descobrem depósito de armas da 2a Guerra em mina abandonada

blank
Imagem captura de tela do video de Clément Explorer.

Durante uma de suas explorações em torno da região de Brignoles, no Var (Sul da França), o jovem “explorador urbano” francês Clément Monjo e seus amigos também exploradores fizeram uma descoberta impressionante. Um grande depósito de munições, explosivos, grande quantidade de cordão detonante e granadas britânicas. Um tesouro histórico para adeptos da exploração urbana e história das guerras.

Urbex, do inglês Urban Exploration, ou exploração urbana, é uma atividade que invadiu as redes sociais. Fotos, vídeos, canais do YouTube … De fábricas abandonadas à prédios e casas desertas fascinam os exploradores de lugares abandonados e esquecidos por todo o mundo. E no caso da Europa, ainda muito se encontra de objetos e material da época das duas grandes guerras mundiais e da época da guerra fria.

Durante uma das explorações que fez com um amigo na região do Var (Sul da França), que Clément Monjo , um estudante de história da Universidade de Aix-en-Provence, fez uma descoberta que pode deixar os historiadores de biblioteca verdes de inveja em uma galeria de mina, que está fechada a mais de 40 anos.

Um grande estoque escondido e esquecido no tempo de material militar inglês da época da 2a Guerra Mundial, com armas, munições e outros ítens, semelhantes aos que haviam sido lançados de paraquedas pelos aliados pouco antes do desembarque da Provença durante a Segunda Guerra Mundial.

Infelizmente nem todas as imagens foram permitidas para divulgação, já que novas leis da França proíbem a divulgação de atividades policiais e descobertas de material de época sem a autorização da justiça.

As poucas imagens divulgadas pelos exploradores forma autorizadas depois de uma triagem e com o compromisso dos exploradores de não revelar o local exato, para evitar que outros exploradores ou curiosos incautos procurem o local e causem depredações ou furto do material de valor histórico e de outros, como explosivos que podem detonar se manuseados de maneira imprudente.

Um conto de tirar o fôlego

Um amigo de Clément Monjo que explora regularmente diversos lugares um dia sugere que descubram uma mina que havia encontrado alguns meses antes, enquanto procurava novas minas para explorar. Ele havia entrado, mas não ousou se aventurar muito longe porque estava sozinho naquele dia. Ambos descem ao fundo da mina e se encontram em um verdadeiro labirinto.

Nas palavras de Clément:

“Descemos ao fundo da mina em um verdadeiro labirinto de galerias. Como de costume, filme essa exploração para compartilhá-la no meu canal no YouTube. Naquela época, não tínhamos ideia de que faríamos tal descoberta!”

“Ficamos bastante frustrados ao ver que a rede não continuava mais, depois de uma hora decidimos voltar para a saída e estou desesperadamente procurando uma continuação dessa rede de túneis.”

“É então que encontramos, escondido atrás de grandes blocos, uma passagem estreita que os conduz a esta galeria escondida que minha equipe de exploração me confirmou que encontramos grande quantidade de carregadores das submetralhadoras Stem 9mm, caixas de munição e materiais diversos que estavam à nossa frente.”

Clément e seus amigos decidem voltar lá com dois outros exploradores, um dos quais é capaz de reconhecer equipamentos militares alemães e americanos. E descobrem grande repositório de munições, explosivos, cordão detonante, granadas inglesas e até moedas de época, este é o tesouro que eles descobriram. Mas essa aventura não acabou.

Notamos que era de fato material inglês como o que havia sido lançado de paraquedas pelos aliados pouco antes do desembarque da Provença.

A abertura de uma investigação histórica

Para completar sua pesquisa, este pequeno grupo de exploradores mergulhou na história de Brignoles e descobriu que, de fato, pouco antes do desembarque da Provença, vários lançamentos de cargas com paraquedas aconteceram nos arredores desta cidade de Var. O objetivo desses paraquedas era equipar as redes de resistência com armas e munições.

Alguém enviou aos exploradores uma mensagem com a foto de um livro publicado em 1980 que menciona o nome da mina que exploraram. Uma foto em preto e branco mostra vários ex-combatentes da resistência que, em 1980, voltaram a esta mina seguindo os passos de seu passado.

Um dos esconderijos mais conhecidos é o da caverna dos resistentes de Vins sur Caramy, a caverna onde vários combatentes da resistência foram fuzilados porque se recusaram a fornecer a localização de outro depósito de munição.

E precisamente, esse esconderijo secreto de munição está na mina que Clément e seus amigos descobriram.

Nota da redação Orbis Defense

A exploração urbana é uma atividade lúdica e de valor histórico amador realmente interessante e admirável, porém o bom senso nos obriga a declarar algumas informações que podem ser necessárias para a exploração em alguns países, principalmente na Europa:

– Nem todos os locais, principalmente os de propriedade privada, permitem a exploração urbana. Dependendo da região ou do local pode até mesmo ser considerado crime (como no caso de bases militares ativas ou abandonadas). Pesquise antes para obter autorização de acesso à locais específicos e avalie perigos inerentes.

– A busca de material usando detectores de metais é proibida em muitos paìses, como a França e Alemanha por exemplo. Evite problemas com o uso desse tipo de equipamento consultado autoridades locais antes de efetuar buscas.

– Áreas públicas em regiões de matas geralmente possuem regulamentos, principalmente quando se trata de parques regionais naturais e/ou áreas de preservação ambiental. Consulte os órgão governamentais responsáveis antes de efetuar explorações.

– Descobertas de valor histórico devem ser comunicadas às autoridades locais para os devidos procedimentos de preservação.

– Descoberta de material bélico como armas e principalmente munição e/ou bombas, devem ser comunicados para as autoridades policiais e bombeiros, pois já aconteceram diversos casos de mortes por detonações involuntárias quando do manuseio de artefatos explosivos abandonados.

– O bom senso da exploração urbana é o mesmo válido para a exloração da natureza; deixamos somente pegadas, tiramos apenas fotos e levamos apenas boas lembranças para compartilhar com os outros.

  • Com informações e textos adaptados France Info3 e Clément Exploration via redação Orbis Defense Europe.