Grupo Especial de Inspeção em Voo trabalhando para manter a navegação aérea segura

Esta semana chegou à nossa redação vários e-mails de leitores, relatando estarem preocupados com uma aeronave, que por horas a fim estava dando voltas e mais voltas sobre certa localidade e de forma muito baixo.

Por intermédio do FligthRadar24, constatamos que tais voltas na verdade era parte de um dos muitos trabalhos realizados pela Força Aérea Brasileira (FAB), mais precisamente pelo Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV), unidade esta subordinada ao Departamento de Controle de Espaço Aéreo (DECEA).

O DECEA e o GEIV

Para gerir o espaço aéreo brasileiro com segurança e eficácia, o DECEA precisa manter aferidos e operando seus equipamentos de auxílios a navegação aérea, aproximação e pouso, bem como procedimentos de navegação aérea de grande precisão.

Este trabalho é atribuído ao GEIV, que tem por missão aferir a eficácia desses sistemas, equipamentos e procedimentos de modo a garantir uma operação segura a todas aeronaves em circulação no espaço aéreo brasileiro durante todas as fases de voo, sobretudo em condições meteorologias adversas.

Ainda que sua base operacional esteja no Rio de Janeiro (RJ), pode-se dizer que o GEIV está presente em todo o País. Dada a sua vasta mobilidade no território brasileiro, o órgão é conhecido como “os olhos e os ouvidos do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro”.

Por desempenhar essa atividade, muitas vezes o GEIV teve de criar suas próprias ferramentas de trabalho, atualizar projetos de sistemas e gerar soluções técnicas que fugiam do escopo do trabalho rotineiro de uma unidade aérea comum, bem como organizar-se estruturalmente destas unidades.

Histórico do GEIV

A atividade de inspeção em voo deu os seus primeiros passos, no Brasil, após a assinatura do Projeto CONTRAF em 1956. Uma aeronave-laboratório, o beechcraft de matrícula N-74, prestou, na ocasião, serviços ao Brasil, com a finalidade específica de inspecionar os primeiros auxílios à navegação e à aproximação a serem instalados.

No ano de 1958, formou-se a primeira tripulação operacional de inspeção em voo no País, quando foi adquirido o primeiro avião-laboratório de matrícula nacional – o EC-47 2065 – e um laboratório de aferição e calibragem.

A primeira inspeção em voo em nosso território, com aeronave e tripulação brasileiras, foi realizada em 21 de fevereiro de 1959, com o intuito de verificar a adequação do sítio de Itaipuaçu para instalação de um VOR.

A partir de então, o número de inspeções em voo aumentou gradativamente e cada vez mais se fazia necessário um setor que planejasse e interpretasse a análise dos resultados obtidos durante as missões executadas.

Em 1960, foi criada a Seção de Registro e Controle de voo, dentro da composição da Diretoria de Rotas Aéreas (DR) – antigo DECEA. Onze anos mais tarde, com a extinção da DR, a atividade passou à subordinação direta do Comando de Apoio Militar (COMAM).

Em maio de 1972, O Grupo Especial de Inspeção em voo (GEIV) era criado através do Decreto nº 71.261, ativado pela portaria R-003/ GM3, de 17 de abril de 1973.

Ficou interessado e deseja saber mais sobre os trabalho de Inspeção em Voo, acesse a página do DECEA e saiba mais.

  • Com informações do DECEA e GEIV


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below