HMS Prince Of Wales sai de Portsmouth pela primeira vez

HMS Prince of Wales deixando a Base Naval de Portsmouth pela primeira vez em uma visita à sua cidade afiliada de Liverpool. Imagem via Daily Mail UK.

O mais novo porta-aviões da Marinha Real, HMS Prince of Wales, partiu de seu porto de origem pela primeira vez hoje, para visitar Liverpool. o porta-aviões permanecerà em Liverpool para uma visita de uma semana, chegando ao rio Mersey na sexta-feira, 28 de fevereiro.

Multidões alinharam-se nas docas de Portsmouth Harbor para ver e fotografar o navio de guerra de 65.000 toneladas e 3,1 bilhões de libras esterlinas quando este partiu para uma semana de estadia em Liverpool, que deve começar em 28 de fevereiro, quando a embarcação estarà aberta à visitação publica.

O HMS Prince of Wales é uma embarcação de 919 pés, um dos dois na nova classe de navios Queen Elizabeth, mais alta que a Coluna de Nelson e com uma superficia do tamanho de três campos de futebol, terá pelo menos 700 marinheiros servindo a bordo e capacidade para acomodar cerca de 1.600 militares ou mais.

O porta-aviões HMS Prince of Wales é o oitavo navio da Marinha com o respectivo nome.

A principal atração técnica dos novos porta-aviões britânicos; a capacidade de transportar 36 jatos F-35 Lightning II e quatro helicópteros (configuração variàvel), além de suprimentos suficientes para durar 45 dias.

Mais imagens:

A força de ataque do Príncipe de Gales: caças Lightning II F-35

O HMS Prince of Wales e o HMS Queen Elizabeth têm capacidade para 36 dos novos caças F35-B Lightning II. Aqui estão alguns fatos e números sobre os caças que são baseados na RAF Marham em Norfolk:

– O jato mede 51,2 pés (15,6 m) de comprimento total, tem uma envergadura de 35 pés (10,7 m) e uma altura de 14,3 pés (4,36 m).

– Tem uma velocidade máxima de 1.6 Mach ou 1.200 mph, uma classificação G máxima de 7G e um raio de combate de 833 km (518 milhas).

– A Lockheed Martin, empresa americana que constrói o jato, descreve suas capacidades furtivas como ‘sem precedentes’. Seu design de estrutura, materiais avançados e outros recursos o tornam “praticamente indetectável ao radar inimigo”.

– A Grã-Bretanha comprometeu-se a um programa de 9,1 bilhões de libras para comprar 48 dos jatos até 2025 – com a promessa de comprar 138 – eles serão operados em conjunto pelos pilotos da Royal Air Force e da Marinha Real.

– As aeronaves supersônicas do Reino Unido estão baseadas nos EUA desde sua fabricação.

– Existem seis sensores de sistema de abertura distribuídos ao redor do jato; dois embaixo, dois na parte superior da aeronave e um de cada lado do nariz. Essas câmeras infravermelhas alimentam informações e imagens em tempo real no capacete do piloto, permitindo que elas vejam a estrutura da aeronave.

– Todas as variantes dos jatos são construídas principalmente na linha de produção da Lockheed Martin em Fort Worth, Texas.

– O F-35 pode ser lançado de instalações em terra e decolará do HMS Queen Elizabeth através da rampa de salto, que foi projetada para otimizar o lançamento.

– O jato é capaz de dois tipos de desembarque do navio; verticalmente no convés e também através do desembarque vertical rolante, que, usando a velocidade do ar para a frente, permite que a aeronave devolva vários milhares de libras de peso extra ao navio.

– Os aviões de guerra realizarão missões dos dois porta-aviões da classe Queen Elizabeth – HMS Queen Elizabeth e HMS Prince of Wales.

– A Lockheed Martin disse que, entre os 3.000 jatos em construção, 15% de cada um é composto por peças de empresas britânicas.

– Algumas das empresas britânicas com contratos para produzir peças de jatos incluem Rolls-Royce, BAE Systems, Ultra Electronics, Selex, Cobham e GE Aviation.

– O presidente-executivo da Lockheed Martin, Peter Ruddock, disse que, até o momento, o programa F-35 gerou US $ 13,5 bilhões em contratos para fornecedores britânicos.

– O HMS Queen Elizabeth pesa 65.000 toneladas e tem uma velocidade máxima de 25 nós, sua cabine de comando tem 919 pés (280m) de comprimento e 230 pés (70m) de largura – espaço suficiente para três campos de futebol.

  • Com informações do HMS Prince of Wales / Royal Navy, Daily Mail UK & Forces Net UK via redação Orbis Defense Europe.