Integrantes do Comando Militar do Oeste se preparam para missão de assistência aos imigrantes em Pacaraima

Daqui uma semana, militares, homens e mulheres, do Comando Militar do Oeste (CMO), embarcam em uma missão de três meses, na qual poderão praticar a solidariedade, ajudando quem passa por um momento difícil. Eles se juntarão a outros militares de diversas regiões do País para dar continuidade a Força-Tarefa Logística Humanitária, “Operação Acolhida”, desencadeada em março de 2018 pelo Ministério da Defesa, que apoia na assistência aos imigrantes oriundos da Venezuela em Pacaraima (RR).

Nesse primeiro momento, 107 militares embarcam para Boa Vista (RR) para prestar o apoio aos imigrantes que buscam abrigo no Brasil. Até o fim de janeiro, cerca de 240 militares do CMO e mais de 300 do Comando Militar do Planalto (CMP) seguirão para a missão, fechando, assim, o 4º Contingente da Força-Tarefa Logística Humanitária.

O coordenador geral da Operação Acolhida IV, no Comando Militar do Oeste, Coronel Antônio Vamilton Lopes de França Filho, prepara-se para exercer a função de Comandante da Base de Pacaraima (RR). “Estou orgulhoso e honrado por ter sido designado para essa missão, a mais importante do nosso Exército na atualidade e, talvez, a mais importante da minha carreira em mais de 32 anos de serviço”, disse.

A missão, para muitos militares, é tão marcante que, pela segunda vez, voluntariam-se para a Operação, como é o caso do chefe da 1ª Seção da 9ª Região Militar, Tenente-Coronel Rui Fernando Risden Santos. Nos próximos três meses, ele será o chefe do Posto de Triagem de Boa Vista (RR). “Quando eu fui para lá a primeira vez, eu encontrei a oportunidade de ajudar alguém e isso, primeiro, foi uma realização pessoal e, depois, uma realização profissional, porque foi um grande desafio trabalhar como assessor jurídico naquela oportunidade”, salientou.

Quem também segue para a Operação Acolhida pela segunda vez como voluntário é auxiliar da Seção de Operações de Informação do Centro de Coordenação de Operações, o 2º Sargento Paulo Maracajá Jacinto Freitas dos Santos. “Estamos representando o Exército Brasileiro e, junto com os nossos irmãos de farda, não tem satisfação maior que prestar esse apoio de solidariedade. Espero contribuir, mais uma vez, com compaixão”, enfatizou.

A Força-Tarefa Logística Humanitária também é uma oportunidade para colocar em pratica algo desejado há anos. É com esse sentimento que a assistente social da 9ª Região Militar, Tenente Fabrícia Quélia Pereira de Moraes, segue para Roraima no 4º contingente. “Desde a época da faculdade, eu pensava em fazer algo humanitário. Eu sempre quis lutar pela defesa e garantia do outro e, aqui no Exército, como assistente social, eu consigo realizar esse meu desejo. Eu fui escolhida e vou honrar essa missão”, prometeu a assistente social.

“É motivo de orgulho comandar homens voluntários, motivados, preparados e conscientes do trabalho árduo e das dificuldades que serão enfrentadas”, finalizou o coordenador geral da Operação Acolhida IV, no Comando Militar do Oeste.

Fonte: CMO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here