Israel desenvolve míssil capaz de fugir ao alcance dos sistemas S-300 na Síria

De acordo com matéria publicada nesta sexta-feira (19) pelo jornal Telepolis (Alemanha), Israel desenvolveu novos mísseis supersônicos ar-ar Rampage, Que supostamente são capazes de voar fora de alcance dos sistemas russos S-300 existentes na Síria, escreve a revista.

Os militares israelenses haveriam de ter usado os novos mísseis, semana passada no durante um ataque aéreo na província síria de Hama, afirma a notícia. Na opinião do autor da matéria, Florian Rotzer, Israel a implantação dos sistema S-300 na Síria, como ameaça à aviação israelense.

Ainda de acordo com o jornalista, esses mísseis representam a “resposta” de Israel, pois eles supostamente são capazes de “enganar” as defesas do sistema russo. O autor acrescenta que os mísseis Rampage, desenvolvidos pelas empresas israelenses IMS (Israel Military Industries) e IAI (Israel Aerospace Industries), foram apresentados em junho do ano passado. O míssil mede 4,5 metros, pesa 570 Kg e possui alcance de até 150 Km.

Note-se que os mísseis são projetados especialmente para atacar alvos que são bem protegidos por sistemas de defesa antiaérea, assim como para destruir bunkers subterrâneos. Além disso, o míssil porta duas ogivas que podem explodir alternadamente.

Em conclusão, Retzer enfatiza que agora, a Rússia terá que mostrar a eficácia dos seus complexos Sistemas ‘S’, que, segundo ele, já estão implantados na Síria para proteger as bases russas. O comandante das Forças de Defesa de Israel (IDF), já havia se manifestado dizendo que ‘seus militares não vão hesitar em eliminar à ameaça’ e destruirão os sistemas S-300 se a Síria ousar usar contra caças israelenses.

O governo russo entregou os sistemas S-300 à Síria após incidente no qual a defesa antiaérea síria abateu acidentalmente um avião llyushin ll-20 russo, com 15 militares a bordo sobre a província de Latakia enquanto tentava repelir um ataque aéreo israelense.

Na esteira do incidente, Moscou acusou as IDF de usarem deliberadamente a aeronave russa como escudo durante o ataque a alvos na Síria. Tel Aviv rejeitou as acusações, alegando que havia avisado Moscou sobre o ataque aéreo com antecedência.
  • Com informações de agências de noticias internacionais e Telepolis


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below