Lista de “compras” de Embaixadas dos EUA vaza e China exige explicação sobre equipamentos para espionagem

blank

A afirmação fora dada após documentos, divulgados pelo WikiLeaks, onde foram expostos banco de dados de uma certa “Lista de Compras da Embaixada dos EUA” com mais de 16.000 solicitações de aquisições, incluindo equipamentos de espionagem. Segundo a WikiLeaks, embaixadas norte-americanas estariam comprando equipamentos de espionagem. A informação pegou o Ministério das Relações Exteriores da China de surpresa e Pequim exigiu que Washington se explique, de acordo com a porta-voz da Pasta, Hua Chunying.

“Tenho certeza de que muitos dos que se familiarizaram com a informação têm a mesma pergunta: por que as embaixadas americanas compram tanto equipamento secreto de vigilância? Com qual propósito eles prepararam isso?”,  disse Hua em uma entrevista coletiva nesta segunda-feira. A porta-voz disse que os dados divulgados indicam que os EUA estão “engajados globalmente em vigilância secreta (…) eu acho que Washington deveria dar uma explicação clara para a comunidade internacional sobre esta questão”, ressaltou.

A WikiLeaks publicou dias atrás um pacote de documentos listados sob a pasta “Lista de Compras da Embaixada dos EUA”. De acordo com os dados expostos, embaixadas americanas em todo o mundo fizeram mais de 16 mil solicitações de aquisições de equipamentos. Em agosto, por exemplo, a embaixada dos EUA em El Salvador pediu o fornecimento de 94 câmeras espiãs camufladas como gravatas, bonés, botões de camisa, relógios, pen drives, isqueiros e canetas”. Câmeras espiãs semelhantes também foram solicitadas pela Embaixada dos EUA na Colômbia. 

Em novembro de 2016, a partir do Escritório Regional de Suporte a Aquisições (RPSO) de Frankfurt am Main, fora incluiuda uma lista de vários itens, como “soluções de software e hardware para o exame forense de telefones celulares”. A lista também incluía “ferramentas de laboratório para exame forense de celulares”, “software para avaliação especializada e análise de dados” de computadores, etc. Os itens deveriam ser entregues à Embaixada dos EUA em Podgorica, Montenegro. A conta da WikiLeaks no Twitter forneceu informações sobre o pedido do ano passado feito pela Embaixada dos EUA no Panamá, que solicitou licença para extrair dados dos telefones de pessoas detidas ou presas no Panamá. O Departamento de Estado dos EUA ainda não se manifestou sobre o assunto.

*Com informações de agências de notícias internacionais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here