Marinha do Brasil e suas Tradições Navais (parte 2)

Foto: Francisco Veterano Alves

Você já reparou que existem várias expressões corriqueiras (Gírias) no meio Naval? As vezes você passa e ouve dois militares conversando e um fala “Safou a onça?”…e o outro apenas sorrir e diz, Sim. E você fica sem entender nada!!!!

Dando segmento as matérias sobre as Tradições Navais (clique aqui e leia a Parte 1), hoje iremos explicar algumas ‘gírias navais’. A linguagem própria é um poderoso instrumento de aglutinação. Naturalmente, muitas particularidades e expressões da tradição naval lembram, às vezes, aspectos da vida doméstica ou de atividades em terra.

Conheçam algumas das expressões corriqueiras mais utilizadas por Marinheiros e Fuzileiros Navais

‘SAFO’:

É talvez a expressão mais utilizada na Marinha. Serve para tudo que está correndo bem, ou para tudo que faz as coisas correrem bem: “Oficial safo, Marinheiro safo. A faina está safa. A entrada é safa, pode demandar: não há bancos”.

‘ONÇA’:

É também uma expressão de grande uso. Significa dificuldade: “onça de dinheiro, onça de sobressalentes”.”Estar na onça” é estar em apuros. “A onça está solta”, quer dizer que tudo vai mal.Essa expressão vem de uma velha história de uma onça de circo, que era transportada a bordo de um navio mercante e se soltou da jaula, durante um temporal.

‘SAFA ONÇA’:

É a combinação das duas expressões anteriores. Significa salvação. Safa onça é tudo que soluciona uma emergência. “Safei a onça, agarrando-me a uma tábua que flutuava…O meu safa onça foi um pedaço de queijo, que ainda restava no barco; do contrário, morreria de fome”.

‘PEGAR’:

É o contrário de estar safo. “Estar pegando” significa que não está dando certo: “Tenente, o rancho está pegando! Não chegou a carne! Este marinheiro ainda está muito inexperiente: com ele tudo pega…Comandante, não pude chegar a tempo, a lancha pegou bem no meio da baía!

“Parece que a expressão vem de “pegar tempo”, ou seja, pegar mau tempo. Fulano está pegando tempo, para resolver a primeira questão de sua prova…Aquele marujo não conseguiu safar-se para a parada: pegou tempo, para arranjar um boné novo”.

‘ROSCA FINA’, ‘VOGA LARGA’, E ‘VOGA PICADA’:

Na gíria maruja, muitas expressões externam o universal bom humor ou espirituosidade que caracterizam os homens do mar. As expressões “rosca fina”, “voga picada” e “voga larga” são alguns exemplos:“Rosca fina” (ou ainda “voga picada”) denomina o superior, Oficial ou Praça, que é exigente na observância das normas e regulamentos, bem como na execução das fainas e tarefas, por si e pelos subordinados.

O antônimo é o “voga larga”.A origem do primeiro está no “aperto”, na “pressão” impressa pelo chefe, comparada pelo marinheiro a do parafuso com rosca fina – que “aperta mais”. A segunda vem de “voga”, que é a velocidade da remada ditada pelo patrão aos remadores em uma embarcação a remo. Pode ser uma “voga picada” (regime de velocidade maior, portanto mais exaustivo para os remadores) ou “voga larga” (velocidade amena, mais calma, mais tranquila).

E ai…espero que estejam curtindo bastante e aprendendo mais sobre as tradições navais. Breve voltaremos com outras curiosidades, Safo!!!

Até à próxima…..

Fonte: Marinha do Brasil



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below