Marinha do Brasil realiza cerimônia de batismo do seu novo submarino: Riachuelo (S-40)

O dia 14 de dezembro de 2018, entra definitivamente para a história da Marinha do Brasil, como um dia ímpar. Nesta data, o primeiro, de uma série de quatro submarinos convencionais e um de propulsão nuclear, que estão sendo construídos pelo Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), teve seu lançamento ao mar efetivado. Deslocando 1.870 toneladas e medindo 72 mts, ele tem autonomia para ficar 70 dias no mar, com uma tripulação de 35 militares. Podendo chegar à uma velocidade de até 37 km / h (20 nós). Este é o “Riachuelo”, que tem ainda em seu arsenal: torpedos pesados, misseis de longo alcance e faz a deposição de minas.

Quando esta nova frota de submergíveis, começou a ser pensada, por volta de 2007, fora colocado que esta nova arma teria como elemento básico, a dissuasão naval. As características de sua furtividade, imprevisibilidade e poder de fogo, são fundamentais nas ações de: vigilância, patrulha e eventual ataque de interdição. Mesmo contra inimigos de maior porte, a efetividade é garantida pela habilidade.

Leia também:



A cerimônia, realizada no Complexo Naval de Itaguaí (RJ), contou com a presença do presidente da República, Michel Temer; do presidente eleito, Jair Bolsonaro; do ministro da Defesa, General Joaquim Silva e Luna; do Comandante da Marinha, almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, além de autoridades militares e civis convidados.

O diretor-presidente da Itaguaí Construções Navais (ICN), Srº André Portalis, abriu a cerimônia e enfatizou a grandiosidade do PROSUB. “…Ele é uma combinação da tecnologia francesa com as necessidades da Marinha do Brasil, para proteger o precioso patrimônio da ‘Amazônia Azul’. Hoje contemplamos, o tanto que avançamos nos primeiros dez anos no PROSUB. É uma força de trabalho de 17 mil pessoas, que construíram aqui instalações industriais espetaculares de submarinos ultramodernos. São mais de 520 mil m² de oficinas, cais e meios industriais voltados para o projeto”, afirmou.

Na sequência de eventos, a primeira-dama Marcela Temer, madrinha do Riachuelo, foi convidada para realizar o batismo, conforme tradição, quebrando uma garrafa e pedindo a bênção ao submarino e aos marinheiros que o navegarem. O auge se deu, quando o Shiplift (elevador de navios), com 34 guinchos, foi acionado em conjunto pelo presidente Michel Temer, pelo comandante da Marinha, almirante de Esquadra Leal Ferreira e pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro. Fazendo assim com que o submarino descesse lentamente até à água. Esta manobra teve a duração de 30 minutos, e durante este tempo o Ministro da Defesa, o Comandante da Marinha e o Presidente da República, realizaram seus discursos.

O ministro da Defesa, Gen Silva e Luna, falou da importância para o País deste dia: “Nessa semana, quando comemoramos o “Dia do Marinheiro”, o lançamento do Submarino “Riachuelo” ao mar leva consigo muitas das realizações de todos que dedicaram suas inspirações e talentos para a efetivação desse sonho e demonstra o elevado grau de profissionalismo da nossa força de trabalho, bem como a capacidade da Base Industrial de Defesa brasileira”, disse.

O comandante da Marinha, almirante de Esquadra Leal Ferreira, enfatizou a importância da entrega do submarino e que ele representa ao país e a força naval. “No dia de hoje, celebramos um marco de nossos esforços, ao mesmo tempo em que enaltecemos as tradições marinheiras e festejamos uma conquista para a sociedade brasileira que comprova a qualificação profissional e industrial instalada no Brasil”, disse.

Já o presidente Michel Temer, durante seu discurso, enfatizou que a entrega do submarino representa um novo tempo para a Marinha do Brasil e para a Defesa do País. “O dia 14 de dezembro é data que ficará marcada em nossa história, afinal o lançamento ao mar deste primeiro submarino é motivo de justificado orgulho para todos os brasileiros. Estamos dando prova da excelência da nossa indústria naval e que juntos somos capazes de superar qualquer desafio”, declarou.

Ao término dos discursos, as atenções se voltaram novamente ao submarino, que agora repousava suavemente, pela primeira vez, nas águas da Baía de Sepetiba, onde está situado o complexo naval de Itaguaí e que abrigará a futura Nova Base Naval, a qual deve vir a substituir a Base Almirante Castro e Silva. O programa agora segue uma série de exigências, onde haverá exercícios de incêndio, de naufrágio e de ações furtivas dedicadas à inteligência.

O jogo de gato e rato, do ataque contra o inimigo e da defesa contra os inimigos, passa a fazer parte da rotina diária desta tripulação. O mergulho no limite de segurança de 350 mts, deve ser superado até um ponto máximo, sendo que esta informação é considerada confidencial. Só depois disso, durante o ano de 2019 e com o ápice para 2020, que o “Riachuelo”, de fato irá começar a cumprir a tarefa de controle das águas oceânicas de nosso País. O cronograma de lançamento dos submarinos do PROSUB são: Humaitá em 2020, Tonelero em 2021, Angostura em 2022 e o Álvaro Alberto em 2029, que será o primeiro com propulsão nuclear do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below