Marinha do Brasil realiza patrulha nos extremos da “Amazônia Azul”

Foram empregadas as aeronaves AH-11B Wild Lynx, e AF-1C Skyhawk, além da Fragata União e o Navio Patrulha Araguari

blank
Aeronave AF-1C “Skyhawk” pousada no aeroporto de Fernando de Noronha

Em consonância às Operações Ágata e Amazônia Azul – Mar Limpo é Vida – Fase 4, a Fragata União e o Navio-Patrulha Oceânico Araguari, subordinado ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Nordeste, realizaram entre os dias 27 de outubro a 4 de novembro, patrulha naval na Zona Econômica Exclusiva (ZEE) dos Arquipélagos de Fernando de Noronha e de São Pedro e São Paulo.

Na ocasião, foram empregadas as aeronaves AH-11B Wild Lynx, embarcada na Fragata União, e AF-1C Skyhawk, pertencente ao 1° Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (Esqud VF-1), que operou a partir da Base Aérea de Natal (RN) e efetuou pouso logístico no Aeroporto de Fernando de Noronha.

blank
Fragata “União” em patrulha na área do Arquipélago de Fernando de Noronha

As aeronaves realizaram ações de esclarecimento, em proveito da patrulha naval, que teve o objetivo de monitorar o tráfego marítimo de interesse, combater a pesca ilegal e os crimes transfronteiriços, até o limite da ZEE dos dois arquipélagos.

A operação garantiu, também, a continuidade da 4ª fase da Operação “Amazônia Azul – Mar Limpo é Vida”, iniciada em 5 de outubro, que tem o objetivo de monitorar as áreas marítimas e litorâneas, incluindo praias e manguezais, que foram afetadas pelo criminoso derramamento de óleo ocorrido no ano passado.

A ação de presença da Marinha na ZEE demonstra o permanente compromisso da instituição de contribuir para a defesa dos interesses nacionais na “Amazônia Azul”, rica região marítima que corresponde a cerca de 67% do território nacional.

  • Com informações do CCSM