Marinha do Brasil recebeu seu primeiro lote de torpedos F21 da Naval Group

Cerimônia de entrega do primeiro lote de seis torpedos pesados ​​F21 para a Marinha Francesa em novembro de 2019, na fábrica de torpedos do Grupo Naval em St Tropez.

A Marinha do Brasil (MB), recebeu em janeiro deste ano um lote de torpedos F21, produzidos pela Naval Group e que serão a principal arma dos submarinos da classe Riachuelo, em produção pela Itaguaí Construções Navais, no Rio de Janeiro (RJ).

O número exato de torpedos não fora divulgado por ambas as partes. O Brasil é o primeiro cliente de exportação do F21. O anúncio da entrega fora feito durante apresentação do balanço anual da empresa francesa à imprensa, realizado no último dia 21 de fevereiro.

Em novembro de 2019, a Marine Nationale (MN) já havia sido contemplada com o recebimento de um primeiro lote de seis torpedos F21, que irão substituir os já obsoletos torpedos F17 Mod. 2.

Na MN os F21 serão instalados na frota de submarinos da classe Le Triomphant, SSBN Barracuda (classe Suffren) e mais tarde, na futura frota de submarinos conhecida como “SNLE 3G”.

Vários submarinos atuais da classe Rubis irão receber o novo torpedo, já que pelo menos um submarino desta classe, foi utilizado para realizar testes de validação e qualificação do F21 nos últimos anos.

O requisito inicial da MN é para ​​93 F21 torpedos pesados, que serão conhecidos como “Artémis”.

F21 para Grécia e Índia?

A Naval Group também está procurando fornecer seu torpedo pesado F21 para Marinha Grega. Esta Marinha precisa equipar sua frota de quatro submarinos Tipo 214 e um Tipo 209.

A necessidade é para 36 unidades do F21, que irão substituir os torpedos SUT Mod0 e SST-4. A Grécia deverá abrir este ano uma concorrência internacional para compra de um novo torpedo.

Há também a expectativa de que a Índia venha concluir a licitação aberta em junho de 2019 aquisição de cerca de 100 torpedos pesados que irão equipar seus seis submarinos da classe Scorpene.

Sobre o torpedo pesado F21

De acordo com o Naval Group, o F21 apresenta desempenhos excepcionais, cumprindo os rigorosos requisitos da MN tais como: modo autoguiado avançado, capacidade de navegar por águas rasas e confinadas, última geração de resistência a contramedidas e conformidade com as normas de segurança de submarinos nucleares.

Graças à sua inteligência artificial, alcance e poder de fogo, ele se oferece como uma vantagem tática incomparável, aumentando o espectro de cenários operacionais. O F21 tem um diâmetro padrão da OTAN (533 mm), medindo de 6 metros e 1.550 kg.

Chegando a uma velocidade superior a 50 nós e um alcance de mais de 50 km (27 milhas náuticas). Sua profundidade de ataque operacional é compreendida entre -33 pés (10 m) e +1.630 pés (500 m).

O torpedo é guiado inicialmente por fio e, em seguida, usa o retorno acústico para chegar até seu alvo. O seu motor elétrico é acionado por uma bateria de óxido de prata de alumínio (AgO-Al).

O back-end do torpedo é fornecido pela Atlas Elektronik (e provém do SeaHake mod4), que permitiu que os engenheiros franceses da Diretoria Geral de Armamento (DGA) e da Naval Group, concentrassem totalmente seu tempo e orçamento durante a fase de pesquisa e desenvolvimento na inteligência artificial, orientação e recursos de rastreamento do F21.





Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail