Marinha e CDRJ assinam convênio de cooperação para o controle do tráfego aquaviário na Baía de Guanabara

No dia 18 de dezembro, o Comando de Operações Navais (ComOpNav) da Marinha do Brasil e a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) firmaram um convênio de cooperação para o compartilhamento do uso de equipamentos e de informações em áreas de interesse comum. Os equipamentos atendem ao sistema de monitoramento e vigilância de áreas marítimas de interesse da União, em face da implantação do Projeto-Piloto do Sistema de Gerenciamento da Amazônia-Azul (SISGAAz), no âmbito da Marinha, e do Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações (VTMIS), em processo de implementação pela CDRJ, nos Portos do Rio de Janeiro e de Niterói.

A implantação integrada dos dois sistemas representará uma grande vantagem econômica e estratégica para a autoridade marítima e para a autoridade portuária. Serão compartilhados equipamentos instalados em quatro estações remotas localizadas na Baía de Guanabara, tais como sensores meteorológicos e oceanográficos, radares, marégrafos e câmeras de longo alcance com capacidade de obter imagens térmicas, dentre outros sistemas.

A implantação do VTMIS no Porto do Rio de Janeiro irá beneficiar a segurança da navegação, reduzir o risco de acidentes com navios, aumentar a eficiência das operações portuárias, propiciar maior controle e prevenção de acidentes ambientais, monitorar as variáveis ambientais para prevenir seus efeitos às atividades portuárias, reduzir o tempo de reação na tomada de decisões, melhorar o intercâmbio de informações entre os diversos atores envolvidos nas atividades portuárias, tais como serviços aliados, armadores, empresas de navegação, agências e operadores.

“Com esse monitoramento ativo de toda a Baía de Guanabara, conseguiremos controlar o fluxo de embarcações que utilizam a infraestrutura aquaviária dos Portos do Rio de Janeiro e Niterói para melhorar a segurança da navegação nos canais de acesso aos portos, nas áreas de manobra e nos fundeadouros”, explicou o presidente da CDRJ, vice-almirante Francisco Antônio de Magalhães Laranjeira.
Já o comandante de Operações Navais, o almirante Puntel, afirmou: “A parceria entre estas duas Instituições representa uma sinergia de esforços para um objetivo comum, o emprego eficiente de recursos públicos. Além disso, abre caminho para novas cooperações no sentido de aumentar a segurança marítima e o controle do tráfego aquaviário”.

Fonte: Portos & Navios



Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

 

Caso deseje conversar com outros usuários escolha um dos aplicativos abaixo:



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail