Mark Esper diz que EUA ficam na Síria, se retiram para o sul do avanço turco e negociam acordo para que russos protejam os curdos

Os combatentes da FSA apoiados pela Turquia estão indo para a cidade síria de Tal Abyad a partir da cidade fronteiriça turca de Akcakale, na Turquia, quinta-feira, 10 de outubro de 2019. O presidente turco Recep Tayyip Erdogan diz que 109 "terroristas foram mortos" - uma referência aos curdos da Síriades abatidos nos commbates, desde que Ancara lançou uma ofensiva na Síria no dia anterior.

O secretário de Defesa está cumprindo as ordens do presidente Donald Trump de mover as forças americanas na Síria para o sul, longe dos ataques da Turquia contra os curdos , mas não deixarão esse país em conflito.

“Conversei com o presidente ontem à noite, depois de discussões com o restante da equipe de segurança nacional, e ele ordenou que começássemos uma retirada deliberada de forças do norte da Síria”, disse o secretário de Defesa Mark Esper ao programa Face the Nation da manhã de domingo da CBS.

Esper disse que há um acordo em andamento em que as forças apoiadas pela Síria e pela Rússia forneceriam proteção aos curdos, que estão enfrentando um ataque das forças armadas turcas.

As forças democráticas sírias, lideradas pelos curdos, são consideradas pelos militares dos EUA como a força parceira mais bem treinada naquela região. É uma força que sofreu cerca de 11.000 mortes na luta contra o Estado Islâmico.

Os anúncios de Esper na manhã de domingo acontecem após as forças americanas serem atacadas pelos turcos, em um movimento que foi deliberado para afastá-los da invasão turca em andamento.

O general Mark Milley, presidente do Estado-Maior Conjunto, disse a repórteres no Pentágono na sexta-feira que a Turquia tinha a localização das forças americanas “em detalhes explícitos das coordenadas da grade”.

Com o conhecimento da localização das forças norte-americanas, o ex-comandante do Exército dos EUA na Europa, tenente-general Mark Hertling, twittou que as posições das forças americanas deveriam ter sido conectadas aos computadores de controle dedisparo da artilharia como ” áreas a não atacar” ou NFAs.

Hertling twittou que os “soldados de artilharia turcos” eram incompetentes, ou que esse era um ato intencional para enviar uma mensagem aos EUA e aos SDF / curdos. A Turquia disparou contra um aliado da Otan. “

“As forças turcas dispararam contra um posto militar declarado dos EUA no norte da Síria. A Turquia conhece todas as nossas localizações até a coordenada precisa da grade ”, twittou McGurk na sexta-feira.

  • Com informações CBS news USA e FOX News via redação Orbis Defense Europe.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below