Mergulhadores encontram máquina de criptografia nazista ‘Enigma’ no Báltico

A máquina foi encontrada durante buscas por redes de pescas abandonadas e doada para o museu de arqueologia da região

blank

Mergulhadores alemães do grupo de preservação ambiental WWF encontraram um dispositivo de criptografia nazista no Mar Báltico. Denominada ‘Enigma’, a máquina foi encontrada durante buscas por redes de pescas abandonadas e doada para o museu de arqueologia da região, onde será restaurada e exposta.

Ulf Ickerodt, chefe do escritório arqueológico da região de Schleswig-Holstein, afirmou que o delicado trabalho de restauração, incluindo um processo de dessalinização completo após 70 anos no fundo do Mar Báltico, levará cerca de um ano.

Há um mês, os mergulhadores estavam na Baía de Gelting, no nordeste da Alemanha, procurando redes de pesca abandonadas que poderiam ameaçar a vida marinha.

blank
Milhares de máquinas Enigma foram produzidas, porém poucas foram encontradas. Existem cerca de 50 máquinas ao redor do mundo em exposição. Créditos: WWF/Reprodução

Ao encontrar o dispositivo de criptografia, um dos homens acreditou se tratar de uma máquina de escrever comum, mas, ao perceber que o objeto era algo muito mais importante, o grupo decidiu chamar as autoridades responsáveis.

“Se encontrarmos objetos históricos, passamos as posições diretamente para os escritórios. Eles, então, cuidarão das investigações posteriores”, disse Gabriele Dederer, consultora da WWF Alemanha.

Segundo Florian Huber, arqueólogo subaquático e um dos mergulhadores da equipe, em 1945, uma operação de auto-naufrágio em larga escala da marinha alemã ocorreu na Baía de Gelting, afundando cerca de 50 submarinos para não ter que entregá-los aos Aliados.

“Suspeitamos que nosso Enigma foi ao mar no decorrer deste evento”, afirmou Florian Huber.

blank
Florian Huber checando condições da Enigma antes de removê-la da água. Créditos: WWF/Reprodução

Porém, o historiador naval Jann Witt, da Associação Naval Alemã, disse à agência de notícias DPA que o dispositivo de criptografia não é de um submarino alemão afundado, pois tem três rotores, e os aparelhos nos U-Boats alemães possuíam quatro.

Assim, a máquina de criptografia nazista provavelmente foi atirada ao mar de um navio de guerra alemão nos dias finais da Segunda Guerra Mundial, com o mesmo intuito de prevenir que forças inimigas acessassem conteúdo militar confidencial.

Criptografia e o fim da guerra

O uso de máquinas de criptografia foi um dos diversos avanços tecnológicos durante a Segunda Guerra Mundial e culminou na invenção do primeiro computador do mundo. A máquina encontrada pelos mergulhadores, Enigma, permitia o envio de mensagens em códigos cifrados entre membros do exército nazista.

Em conjunto com a inteligência militar britânica, um grupo de matemáticos e engenheiros conseguiu elaborar um modelo mais avançado que o dos alemães, quebrar, pela primeira vez, a criptografia da Enigma.

O matemático britânico Alan Turing, visto como o pai da computação moderna, foi o líder do time que quebrou o código. A descoberta ajudou as forças aliadas a decifrar mensagens cruciais sobre os movimentos militares alemães e, segundo historiadores, contribuiu para encurtar a guerra em dois anos.

  • Fonte: WWF,via site Olhar Digital, por: Fernando Watanabe