Militares das três Forças realizam adestramento de Salto Livre Operacional

Militares da Marinha, Exército e Força Aérea, estão no Comando de Operações Especiais realizando Adestramento Conjunto de Salto Livre Operacional para tropas de operações especiais

blank

Google News

Um treinamento que visa por em condições de defender a Pátria militares da Marinha do Brasil (MB), do Exército Brasileiro (EB) e da Força Aérea Brasileira (FAB). Onde o constante treinamento, busca garantir a segurança da república, dos cidadãos e a ordem constitucional vigente diante de ameaça externa.

Neste contesto, o Comando de Operações Especiais (Copesp) sedia desde o dia 14, e com termino previsto para o próximo dia 25 de setembro, o Adestramento Conjunto de Salto Livre Operacional para tropas de operações especiais.

O exercício é caracterizado pela interoperabilidade, atuação conjunta das três Forças. Ao todo, 75 militares participam do treinamento, que é dividido em duas fases: doutrinária e prática.

O Comandante do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (Parasar), da FAB, tenente-coronel I.C, enfatiza que esse tipo de capacitação certifica a prontidão do País para empregar suas tropas, caso necessário, e fala da importância do trabalho conjunto.

blank“O treinamento tem como objetivo a troca de conhecimento entre as equipes. As expectativas são as melhores. Em cada salto, agregamos conhecimento e trocamos experiências, tanto na parte de planejamento quanto na execução do lançamento propriamente dito”, afirma.

Para saltar, o paraquedista porta mochila, fuzil, capacete, óculos, equipamento de comunicação de rádio, paraquedas principal e reserva, além do cilindro de oxigênio.

Devidamente equipados, ingressam na Aeronave C-130 Hércules da FAB, sentam em lugares previamente determinados e conectam seu cilindro à mangueira do console de oxigênio, pois, devido à altitude, o gás pode ser escasso.

A cada dia de treinamento, é praticada uma modalidade: salto em baixa ou alta altitude, a depender do determinado para o dia.

O Comandante do Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC), da MB, capitão de fragata E.M, explica que o Salto Livre Operacional requer treinamento e atualizações constantes.

Para ele, a interação entre integrantes das três Forças enriquece cada militar em particular. “Esse treinamento proporciona a todos os Mergulhadores de Combate participantes que se atualizem, troquem experiências com militares de outras Forças Armadas, conheçam táticas, técnicas e procedimentos novos e depurem suas habilidades individuais”, enfatizou.

blankCompõem a missão, por parte do EB, militares do grupo de Operadores Especiais do 1º Batalhão de Forças Especiais (1° BFE), do Batalhão de Ação e Comandos (Comands), da Companhia de Precursores Paraquedistas (Cia Prec Pqdt) e do Batalhão de Dobragem, Manutenção de Paraquedas e Suprimentos pelo ar (Dompsa).

O Adestramento de Salto Livre Operacional prepara os militares de elite das Forças Armadas, profissionais que atuam em operações de treinamento de excelência e armamento superior.

O Coordenador da Subchefia de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa (CHOC), coronel Arnon Diniz, ressalta a importância desse trabalho para a Defesa do País.

“O Adestramento contribui com os objetivos expressados pela Política Nacional de Defesa a serem alcançados, com vistas a assegurar a Defesa Nacional, que é conceituada como o conjunto de atitudes, medidas e ações do Estado para a defesa do Território Nacional, da soberania e dos interesses nacionais contra ameaças preponderantemente externas, potenciais ou manifestas”, afirmou.

  • Por Mariana Alvarenga, Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Defesa; Fotos: 1º Ten Cabral/COPESP-EB


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank
blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: