Ministério da Defesa ativa o Centro de Operações Conjuntas

Urnas chegam por meio de embarcações a áreas de difícil acesso na Amazônia

As solicitações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para apoio das Forças Armadas, quer seja para Garantia da Votação e Apuração (GVA) ou no transporte de pessoal da Justiça Eleitoral e de urnas, estão sendo coordenadas pelo Ministério da Defesa, por meio de um Centro de Operações Conjuntas (COC) em Brasília-DF. Na manhã desta sexta-feira (5), o centro foi ativado com a realização da primeira videoconferência com os Comandos Conjuntos de todas as regiões do país.

O ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, abriu a videoconferência e ressaltou que a presença das Forças Armadas em apoio ao TSE reforça a garantia da votação e apuração, transmitindo tranquilidade à sociedade. Os Comandos Conjuntos ativados são formados por organizações da Marinha, do Exército e da Aeronáutica e trabalham de forma integrada com os Tribunais Regionais Eleitorais.

Até o momento, as solicitações de apoio logístico foram para 91 localidades, em cinco estados (Acre, Amazônia, Amapá, Mato Grosso do Sul, Roraima); de GVA, 513, em 11 unidades da Federação. São elas: Acre, 11: Maranhão, 72; Piauí 134; Rio de Janeiro, 69; Amazonas, 27; Mato Grosso, 19; Mato Grosso do Sul, 4; Pará, 61; Rio Grande do Norte, 97; Tocantins, 14 e Ceará, 5.

A sala de reuniões e videoconferências na sede do Ministério é utilizada para as coordenações das Operações Conjuntas entre as Forças

Durante a videoconferência foram repassados ao Ministério dados gerais sobre esse trabalho, cujo o fluxo de informações passa pelo COC, sob coordenação do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA). Mais de 24 mil militares fazem parte das Forças Componentes da missão nas áreas autorizadas pelo TSE. Até o momento, estão sendo empregadas 31 aeronaves, 2.280 viaturas e 146 embarcações. O brigadeiro Baptista Junior, chefe de Operações Conjuntas, do MD destacou que a integração entre as Forças e os Tribunais colaboram para um objetivo comum, “eleições pacíficas e seguras”.

Atuação conjunta

As ações da Marinha, do Exército e da Aeronáutica se caracterizam pelo apoio logístico, ou seja, transportar os integrantes da justiça eleitoral para poder compor as áreas de votação; e pela garantia da votação e da apuração, que envolve a parte de segurança no acesso à votação. O trabalho é feito por seis Comandos conjuntos: da Amazônia, do Norte, do Nordeste, do Oeste, do Sudeste, do Leste e mais o Comando Militar do Planalto. As ações dos Comandos Conjuntos visam garantir à população o direito ao voto onde quer que ela esteja.

O planejamento realizado, em execução desde setembro, foi para os municípios e as localidades para as quais houve solicitação do TSE. A atuação inclui o esforço de deslocamentos por navio, embarcações e aeronaves para garantir a distribuição de urnas e pessoal. O COC, na sede do MD, recebe a informação dos centros dos Comandos Conjuntos, com atualizações e solicitações, que resulta em novas decisões para apoio das tropas e de meios. O Centro funcionará em plantão até 8 de outubro.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) Ministério da Defesa
Por: major Sylvia Martins 





Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here