Ministro da Defesa acompanha embarque de militares para a China

blank

Dois aviões Embraer 190, da Força Aérea Brasileira (FAB), decolaram nesta quarta-feira (05), às 12h20, da Ala 1 (Base Aérea de Brasília), rumo a Wuhan, na China.

Antes de levantar voo, os 36 tripulantes, 18 de cada aeronave, foram cumprimentados pelo Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, acompanhado pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar, Antonio Carlos Moretti Bermudez.

“Sintam orgulho de estar participando de uma missão real, de uma ajuda humanitária real aos nossos brasileiros que estão em Wuhan”, saudou o Ministro.

A operação de repatriação dos brasileiros que estão no país asiático e temem contrair o Coronavírus deve durar 62 horas ininterruptas. A previsão é de que os dois aviões Embraer 190 da FAB cheguem à Base Aérea de Anápolis no próximo sábado (08).

O Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Damasceno, Secretário de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica, esteve na Ala 1, nesta quarta-feira, e explicou detalhes da operação.

“Os 34 passageiros serão divididos em dois aviões. Estamos em contato com o Ministério das Relações Exteriores, que é o responsável pelo controle desses passageiros. A partir de Wuhan haverá revezamento em voo dos nossos médicos que estarão em contato com essas pessoas. Além da tripulação, temos, em cada aeronave, seis médicos nossos e um médico do Ministério da Saúde”, informou o Brigadeiro.

O Embraer 190 é uma aeronave de transporte presidencial, com 36m de comprimento, e alcança 985 km/h de velocidade máxima. A disponibilidade para o transporte dos repatriados é de 30 passageiros em cada aeronave.

A missão envolve 52 militares divididos em quatro aeronaves. Duas aeronaves Legacy, que transportaram as tripulações de revezamento, decolaram de Brasília na terça-feira (04).

Por questão de limites de jornada de voo dos militares, as tripulações serão trocadas em Varsóvia (Polônia), tanto na ida quanto no retorno ao Brasil.

O objetivo da disponibilização de tripulações para troca é que o voo possa ocorrer de forma contínua, dentro dos padrões de segurança e sem interrupção decorrente da necessidade de descanso das tripulações.

O Ministério da Defesa, por meio da FAB, em conjunto com o Ministério da Saúde, Ministério das Relações Exteriores e demais órgãos do governo, atuarão seguindo protocolos e instruções oficiais para garantir a segurança, tanto dos passageiros quanto dos militares envolvidos na missão.

  • Por CT Fabrício Costa com informações da FAB e fotos do Ministério da Defesa, via Assessoria de Comunicação Social – Ascom do Ministério da Defesa