Ministro da Defesa destaca treinamento como essencial para tropas em Missões de Paz da ONU

blank

Em viagem oficial aos Estados Unidos (EUA), o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, passou, a semana de 26 a 29 de março, em Washington, DC e Nova York, cumprindo compromissos que estreitam o relacionamento militar entre o Brasil e aquele país, na área de diplomacia de defesa. Entre eles, a Conferência de Ministros da Defesa na Organização das Nações Unidas (ONU), realizado na última sexta-feira (29).

Na Sessão 2 da Conferência: Treinamento e Desenvolvimento de Capacidades, o Ministro Fernando Azevedo discursou, destacando o Brasil no contexto de Operações de Paz no mundo. “Em mais de 70 anos, cerca de 46 mil civis e militares brasileiros foram desdobrados sob a bandeira das Nações Unidas. Estivemos presentes em 40 das 72 Operações desdobradas”. Lembrou do Haiti, “onde, por treze anos, o Brasil exerceu a liderança do componente militar da missão e contribuiu para o sucesso alcançado”.

Mas, no texto, o ministro também afirmou que “fornecer às tropas um eficaz treinamento é essencial para obter um bom desempenho no terreno”. Nessa área, o Brasil, recentemente, participou da atualização de Manuais Operacionais da ONU, em reuniões sob coordenação do Ministério da Defesa no próprio país.

Nesse cenário, o Ministro Fernando anunciou, com exclusividade na Conferência, um novo pledge (promessa formal) de que uma equipe especializada de treinamento em ambiente de selva será enviada à Missão de Estabilização da Organização das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO). As Forças Armadas brasileiras, hoje, têm um General de Divisão, Elias Rodrigues Martins Filho, como Force Commander da MONUSCO.

Casa Branca e Pentágono

Durante a semana, em encontro com o Secretário de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, na Casa Branca (Washington), na terça (26), o Ministro Fernando falou da indicação do Brasil para Principal Aliado Não-OTAN (do inglês Major Non-Nato Ally), considerando como um alinhamento importante, mas de regulamentação comum. “Membro Não Nato, que se chama, existem vários países. Argentina, por exemplo é membro Não Nato desde 1998. O Brasil será mais um parceiro, digamos assim, preferencial Não OTAN”, disse.

Quanto ao assunto Venezuela, Fernando Azevedo lembrou ao Secretário Bolton que as Forças Armadas brasileiras têm realizado o controle e o acolhimento dos imigrantes na fronteira norte do Brasil por meio da Operação Acolhida. “Nós já estamos lá há mais de um ano, com mais de seiscentos militares envolvidos”, afirmou. O Brasil, segundo ele, espera uma solução pacífica para o país.

Em seguida, no Pentágono, ainda no dia 26, o ministro Fernando foi recebido pelo secretário interino da Defesa, Patrick M. Shanahan. O secretário disse que visualiza avanços concretos com o Brasil, o que inclui, segundo ele “cooperação e interoperabilidade, colaboração industrial de defesa, pesquisa e desenvolvimento, ciberespaço e espaço.”

Acordo de Salvaguardas Tecnológicas com os Estados Unidos

A viagem à Washington também proporcionou a oportunidade para assinatura, pelo Ministro da Defesa brasileiro, do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre Brasil e Estados Unidos, assinado pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro, anteriormente, em visita ao país.

O acordo trata da viabilização comercial do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), unidade da Força Aérea Brasileira (FAB) no Maranhão. Com isso, os Estados Unidos permitem que Brasil lance de Alcântara veículos e satélites de qualquer nacionalidade com componentes norte-americanos. Por sua vez, o Brasil compromete-se a proteger e resguardar essas tecnologias. O acesso a qualquer parte do Centro Espacial de Alcântara e o controle de todas as operações é do Brasil.

Missão Permanente do Brasil junto à ONU

Na quinta-feira (28), em Nova York, o Ministro Fernando Azevedo esteve com o Chefe da Missão Permanente do Brasil junto à ONU, General de Exército, Gerson Menandro Garcia de Freitas, e com militares que fazem parte da missão. As autoridades conversaram sobre a participação do Brasil junto às Nações Unidas e sobre a Conferência de Ministros da Defesa.

A Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM-UNIFIL), é a única Força-Tarefa Naval com tropas brasileiras que faz parte de uma Missão de Manutenção de Paz da ONU, desde 2011 e é comandada por um Almirante brasileiro.

Na agenda dos EUA, o Ministro Fernando Azevedo encontrou com o embaixador Mauro Vieira, representante permanente do Brasil junto à ONU. A programação incluiu também reuniões bilaterais com a Suécia, Peru, Canadá e Portugal; e com adidos militares e oficiais Generais da Junta Interamericana de Defesa (JID) e Representação Brasileira na Junta Interamericana de Defesa (RBJID).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here