Míssil Balístico Minuteman III armado com ogiva convencional foi lançado da Base de Vandenberg

Um grande teste com o Míssil Intercontinental Minuteman III armado com veículo de reentrada com ogivas CONVENCIONAIS foi lançado nesta manhã

blank
Staff Sgt. J.T. Armstrong/U.S. Air Force via AP

Califórnia – Um míssil balístico intercontinental Minuteman III armado com ogivas CONVENCIONAIS (explosivos) foi lançado da Base da Força Espacial de Vandenberg na manhã desta quarta-feira, 11 de agosto, e detonado antes mesmo de tocar no Oceano Pacífico.

A janela de lançamento estava prevista para acontecer das 12h51 a.m. às 6h51 a.m. do horário do Pacífico no norte de Vandenberg, especificamente das 04H51 às 10h51 do horário de Brasília.

blank
Um dos momentos do lançamento de hoje. U.S. Space Force photo by Michael Peterson

Os militares do Comando de Ataque Global da Força Aérea lançaram o míssil balístico Minuteman III equipado com um veículo de reentrada de teste às 12h53, horário do Pacífico, para demonstrar a prontidão das forças nucleares dos EUA e fornecer confiança na letalidade e eficácia da dissuasão nuclear da nação.

O lançamento ocorreu sem muita inércia, apenas 2 min após a contagem da janela prevista do teste, talvez o rápido preparativo tinha a intenção de evitar imprevistos na rede de comunicação, software, clima e ataques cibernéticos.

O teste seria um lançamento operacional, que tinha programação para maio, porém foi abortado após um mau funcionamento.

blank

A Força Aérea adere a protocolos rígidos durante a execução de lançamentos de teste operacional, apenas lançando quando todos os parâmetros de segurança com o alcance de teste e míssil são atendidos. O programa de lançamento ajuda o Comando a avaliar o Minuteman III e reunir dados para manter o sistema eficaz.

blank
Aug. 11, 2021, U.S. Space Force photo by Michael Peterson

Este lançamento envolveu um veículo de reentrada da Hi Fidelity Joint Test Assembly que detonou explosivos convencionais (ou seja, não nucleares) antes de atingir a superfície da água a aproximadamente 4.200 milhas abaixo do atol de Kwajalein, nas Ilhas Marshall.

De acordo com o Comandante do 576º Esquadrão de Teste de Voo, coronel Omar Colbert, “o Comando de Ataque Global dos EUA é a pedra angular da estrutura de segurança do mundo livre, o teste de lançamento de hoje é apenas um exemplo de como a frota de ICBM de nosso país demonstra prontidão operacional e confiabilidade do sistema de armas. Também nos permite mostrar o incrível nível de competência e capacidade de nossos militares e civis”.

blank

Os aviadores da 341ª Ala de Mísseis em Malmstrom AFB, 90ª Ala de Mísseis em F.E. Warren AFB e 91ª Ala de Mísseis em Minot foram selecionados para a força-tarefa para apoiar o lançamento de teste. As três bases de mísseis têm tripulantes em alerta 24 horas por dia, durante todo o ano, supervisionando as forças de alerta ICBM do país.

blank
U.S. Air Force photo by Staff Sgt. Delia Marchick

“Os lançamentos de teste não são uma resposta ou reação a eventos mundiais ou tensões regionais”, disse o tenente-coronel Aaron Boudreau, comandante da Força-Tarefa.

Os calendários de lançamento são elaborados com cinco anos de antecedência e o planejamento de cada lançamento individual começa de seis meses a um ano antes do lançamento.

A força-tarefa é composta por especialistas de todas as três alas de mísseis que demonstraram incrível iniciativa e flexibilidade para superar desafios imprevistos durante esta pandemia mundial.

blank

A comunidade de projeto estratégico de ICBM, incluindo o Departamento de Defesa, o Departamento de Energia e o Comando Estratégico dos EUA, usa dados coletados de lançamentos de teste para avaliação contínua do desenvolvimento da Força de Ataque Global.

O Comando de Ataque Global da Força Aérea é um comando principal com sede na Base da Força Aérea Barksdale, Louisiana, na comunidade Shreveport-Bossier City.

O comando no exterior das três alas de mísseis balísticos intercontinentais da nação (341ª, 90ª e 91ª), toda a força de bombardeiros da Força Aérea, incluindo as alas B-52, B-1 e B-2, o programa Long Range Strike Bomber, Comando Nuclear da Força Aérea, sistemas de controle e comunicações, e suporte operacional e de manutenção para organizações dentro da Força Nuclear.

De acordo com o próprio Comando, por mais de 50 anos a frota de ICBM Minuteman III sustentou a força estratégica americana e desempenhou um papel crítico em garantir a proteção dos aliados dos EUA como uma perna da Tríade Nuclear.

Aproximadamente 33.700 profissionais são designados em nove alas, dois esquadrões separados geograficamente e um destacamento no território continental dos Estados Unidos e implantados em locais ao redor do globo.

blank

O futuro Ground Based Strategic Deterrent, o Programa de Registro, substituirá o Minuteman III ICBM com uma capacidade inicial de 2029.

Até que a capacidade total seja alcançada em meados da década de 2030, a Força Aérea está empenhada em garantir que o Minuteman III continue a ser um dissuasor viável.

U.S. Air Force photo by Senior Airman Abbigayle Williams

De acordo com o Centro de Armas Nucleares da Força Aérea, a primeira iteração do Minuteman ICBM tornou-se operacional no início dos anos 1960. Desde então, ele passou por uma série de melhorias que levaram o Minuteman 3 a se tornar ativo no início dos anos 1970.

blank
Primeiro lançamento do ICBM Minuteman I. U.S. Air Force

O programa de lançamento de teste ICBM demonstra a capacidade operacional do Minuteman III e garante a capacidade dos Estados Unidos de manter uma dissuasão nuclear forte e confiável como um elemento-chave da segurança nacional americano e a segurança dos aliados e parceiros dos Estados Unidos da América.

Com informações complementares Air Force Global Strike Command Public Affairs, Felipe Moretti, via Redação Área Militar