Míssil Tático de Cruzeiro AV-TM 300 “Matador” da Avibras entra em fase final de desenvolvimento, afirma Ministro da Defesa.

O míssil de longo alcance é o vetor mais sofisticado do desenvolvimento do Astros 2020, a sexta geração do Sistema de Foguetes de Artilharia para Saturação de Área criado há cerca de 35 anos pela Avibras em São José dos Campos.

blank

Google News

De acordo com o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva (General de Exército), o AV-TM 300 apelidado de “Matador” passou à sua fase final de desenvolvimento dentro da Avibras. – “Falta pouco pra ele complementar a artilharia de foguetes do Exército Brasileiro, dando-nos um poder dissuasório* muito grande”. Fernando Azevedo e Silva concedia entrevista em Manaus na última terça (15).

O Míssil Tático de Cruzeiro (MTC) nacional tem alcance de 300 km e pode ser lançado a partir de uma plataforma Astros 2020 do Exército Brasileiro, configurado com até dois casulos previamente instalados. Uma bateria completa composta de 6 lançadores pode disparar uma salva de 13 mísseis em poucos segundos.

blank
Veículo Lançador Múltiplo de Foguetes de Artilharia Astros 2020 – Fonte: Avibras.

O desenvolvimento do míssil iniciou-se paralelamente ao do Foguete Guiado SS-40, e ambos integram o Projeto Estratégico Astros 2020 lançado em 2011 ainda no Governo Dilma Rousseff, que à época concedeu R$ 45 milhões em valores destinados à aquisição de um sistema autopropulsado capaz de lançar mísseis e foguetes à longas distâncias. Ainda segundo o Ministro, quanto ao poder dissuasório* do armamento, o objetivo primário do projeto AV-TM 300 é desencorajar ameaças externas através de “meios capazes de prestar um apoio de fogo de longo alcance, com elevada precisão e letalidade”.

blank
Arte: Disparo de um AV-TM 300 da plataforma Astros 2020. Fonte: GBN Defense.

O AV-TM 300 “Matador” é o maior míssil desenvolvido no Brasil. Já ocorreram cerca de 18 Ensaios em voo na Barreira do Inferno (RN). A ser incorporado pelo Exército, foi projetado para destruição de alvos estáticos, como pontes e instalações que vão desde fábricas,  bases militares e pistas de aviação à Centros de Comando e Controle, porém em versões futuras intenciona-se que o mesmo possa vir a atingir alvos móveis, como navios.

Como o Brasil é signatário do Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis, para evitar sanções o país limitou seu alcance a 300 quilômetros e sua ogiva à 200 kg de explosivo, porém seu motor de cruzeiro pode operar por mais tempo do que o necessário para atingir alvos num raio de 300 km, o que na prática significa que seu alcance pode ser superior aos mais de 1000 km. Algumas fontes citam que os 300 km de alcance limitam-se a versão para exportação, podendo a em emprego pelo EB possuir alcance que ultrapassam os 1000 km.

Dados Técnicos

  •  Alcance: Cera de 300 km
  • Velocidade de Cruzeiro: 800 km/h (algumas fontes citam 1040 km/h)
  • Guiamento: Sistema Inercial + GPS
  • Precisão: até 30 m
  • Comprimento: 5,5 m
  • Ogiva: 200 kg
  • Peso Total: 1400 kg (1200 kg + 01 ogiva de 200 kg)
  • Custo estimado: US$ 1,2 milhão.

Obs: dados públicos encontrados na internet, a acurácia das informações é dificilmente obtida devido ao caráter estratégico e comercial do projeto.

Operação

 Inicialmente, o míssil é propulsado por um motor-foguete desde a plataforma até altitude de segurança pré-estabelecida em cerca de 1000 m, quando encerra-se a fase de aceleração e o booster pode ser alijado fazendo o artefato entrar em uma trajetória semi-balística. É nessa hora que entra em cena um motor do tipo turbina a gás, um turbojato Polaris TJ-1000 capaz de operar por 40 horas. Para a combustão no turbojato, o míssil dispõe de entradas de ar laterais para aspiração de comburente.

blank
Motor Turbojato para o voo de cruzeiro. Fonte: Avibras.

Já voando com o turbojato em funcionamento, ocorre a inserção na rota por meio de ajustes no curso e do nivelamento para iniciar o voo de cruzeiro, colocando o “Matador” numa ‘proa’ de translado até o alvo. Nesta fase o míssil viaja em voo subsônico entre 200 e 300 m de altura de acordo com a geografia do terreno. O AV-TM 300 dispõe de duas pequenas asas retráteis, abertas na fase de voo de cruzeiro para conferir-lhe sustentação aerodinâmica.

blank
Créditos: Jonatan Sarmento/Estadão. 

O AV-TM 300 é uma das armas mais letais das quais o país dispõe, e vem há anos sendo chamado de “La arma más poderosa de América Latina” por nossos vizinhos, o que pode ser interpretado corretamente, visto que considerando apenas o alcance de 300 km,  pode-se atingir qualquer país nas imediações mesmo com o lançador distante da fronteira. A adição do novo armamento ao arsenal das Forças Armadas brasileiras, sobretudo ao EB, amplia o poder bélico da força terrestre, podendo atingir alvos estratégicos além dos limites do território nacional, característica superior aos demais armamentos do arsenal do EB atualmente. O sistema Astros em uso nos dias atuais compreende quatro modelos com menor alcance, 30, 40, 60 e 80 km.

blank
Um exemplo extremamente simplista: O disparo de um AV-TM 300 a partir de uma plataforma baseada na cidade rio grandense de Alegrete poderia atingir áreas de 3 países vizinhos, mesmo estando a cerca de 90 km da fronteira mais próxima.

Além do EB, a FAB deve dispor de uma versão própria do AV-TM 300 capaz de ser lançado de suas aeronaves, trata-se do MICLA-BR [Míssil de Cruzeiro de Longo Alcance], uma versão ar-superfície do modelo superfície-superfície.

Segundo o cronograma, o projeto previa a entrega de uma unidade ao EB em 2020, porém de acordo com a previsão ministerial, estima-se  que o míssil tático esteja disponível ao EB entre 2021 e 2022. O desenvolvimento do míssil AV-MTC de superfície deve ser concluído até dezembro de 2020, após oito anos de estudos e testes. Um lote de produção do míssil está programado para ser adquirido em 2021, informou o General José Júlio Dias Barreto, gerente de projetos do Astros 2020.

O sucesso do AV-TM 300 colocará o Brasil no seleto grupo de países detentores da capacidade de desenvolvimento de mísseis de cruzeiro, elevando ainda mais a posição do país como potência militar regional em toda a América latina. No mundo somente 14 países detém a capacidade tecnológica para produzir mísseis de cruzeiro; são eles: Na Europa (Reino Unido, França, Itália, Suécia e Noruega), Na Ásia (Rússia, China, Japão, Coreia do Sul, índia, Israel, Irã e Paquistão) e em toda a América, somente os Estados Unidos.

 O Astros 2020 é uma das plataformas para lançamento de foguetes de maior sucesso comercial no mundo. Referência mundial em sua classe e eficácia comprovada em grandes conflitos como a Guerra Irã-Iraque e a Guerra do Golfo, o sistema de foguetes terra-terra destaca-se por sua grande mobilidade e capacidade de lançar foguetes e mísseis de vários calibres a distâncias que vão do 9 aos agora 300 km. A Avibras intenciona vender o AV-TM 300 a outros países operadores do Sistema Astros 2020, que caminha para se tornar uma das plataformas de artilharia mais sofisticados de todo o mundo.

*Dissuasão: É a ideia ou teoria em que imagina-se que um delito, ofensa ou ataque possa ser evitado em decorrência da capacidade de pronta resposta do atingido, desta forma, pose se dizer que o poder dissuasório de um estado soberano está em sua capacidade de implantar em seus possíveis ofensores o medo da punição.

Produzido com conteúdo disponibilizado pela Agência Brasil.

 

 

blank
Sobre o Autor
Mateus de Paula Vieira é Engenheiro Aeroespacial e Pesquisador, é Colunista no DefesaTV desde maio de 2020. Escreve principalmente sobre Tecnologia Aeroespacial e projetos acadêmicos de foguetes e aeronaves.
Laboratório de Jato Propulsão / Bravo Aerospace Team – Univap. bravorocketteam.github.io/homepage
blank blank blank blank blank blank


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank
blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: