Míssil Tático de Cruzeiro AV-TM 300 “Matador” da Avibras entra em fase final de desenvolvimento, afirma Ministro da Defesa.

O míssil de longo alcance é o vetor mais sofisticado do desenvolvimento do Astros 2020, a sexta geração do Sistema de Foguetes de Artilharia para Saturação de Área criado há cerca de 35 anos pela Avibras em São José dos Campos.

De acordo com o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva (General de Exército), o AV-TM 300 apelidado de “Matador” passou à sua fase final de desenvolvimento dentro da Avibras. – “Falta pouco pra ele complementar a artilharia de foguetes do Exército Brasileiro, dando-nos um poder dissuasório* muito grande”. Fernando Azevedo e Silva concedia entrevista em Manaus na última terça (15).

O Míssil Tático de Cruzeiro (MTC) nacional tem alcance de 300 km e pode ser lançado a partir de uma plataforma Astros 2020 do Exército Brasileiro, configurado com até dois casulos previamente instalados. Uma bateria completa composta de 6 lançadores pode disparar uma salva de 13 mísseis em poucos segundos.

Veículo Lançador Múltiplo de Foguetes de Artilharia Astros 2020 – Fonte: Avibras.

O desenvolvimento do míssil iniciou-se paralelamente ao do Foguete Guiado SS-40, e ambos integram o Projeto Estratégico Astros 2020 lançado em 2011 ainda no Governo Dilma Rousseff, que à época concedeu R$ 45 milhões em valores destinados à aquisição de um sistema autopropulsado capaz de lançar mísseis e foguetes à longas distâncias. Ainda segundo o Ministro, quanto ao poder dissuasório* do armamento, o objetivo primário do projeto AV-TM 300 é desencorajar ameaças externas através de “meios capazes de prestar um apoio de fogo de longo alcance, com elevada precisão e letalidade”.

Arte: Disparo de um AV-TM 300 da plataforma Astros 2020. Fonte: GBN Defense.

O AV-TM 300 “Matador” é o maior míssil desenvolvido no Brasil. Já ocorreram cerca de 18 Ensaios em voo na Barreira do Inferno (RN). A ser incorporado pelo Exército, foi projetado para destruição de alvos estáticos, como pontes e instalações que vão desde fábricas,  bases militares e pistas de aviação à Centros de Comando e Controle, porém em versões futuras intenciona-se que o mesmo possa vir a atingir alvos móveis, como navios.

Como o Brasil é signatário do Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis, para evitar sanções o país limitou seu alcance a 300 quilômetros e sua ogiva à 200 kg de explosivo, porém seu motor de cruzeiro pode operar por mais tempo do que o necessário para atingir alvos num raio de 300 km, o que na prática significa que seu alcance pode ser superior aos mais de 1000 km. Algumas fontes citam que os 300 km de alcance limitam-se a versão para exportação, podendo a em emprego pelo EB possuir alcance que ultrapassam os 1000 km.

Dados Técnicos

  •  Alcance: Cera de 300 km
  • Velocidade de Cruzeiro: 800 km/h (algumas fontes citam 1040 km/h)
  • Guiamento: Sistema Inercial + GPS
  • Precisão: até 30 m
  • Comprimento: 5,5 m
  • Ogiva: 200 kg
  • Peso Total: 1400 kg (1200 kg + 01 ogiva de 200 kg)
  • Custo estimado: US$ 1,2 milhão.

Obs: dados públicos encontrados na internet, a acurácia das informações é dificilmente obtida devido ao caráter estratégico e comercial do projeto.

Operação

 Inicialmente, o míssil é propulsado por um motor-foguete desde a plataforma até altitude de segurança pré-estabelecida em cerca de 1000 m, quando encerra-se a fase de aceleração e o booster pode ser alijado fazendo o artefato entrar em uma trajetória semi-balística. É nessa hora que entra em cena um motor do tipo turbina a gás, um turbojato Polaris TJ-1000 capaz de operar por 40 horas. Para a combustão no turbojato, o míssil dispõe de entradas de ar laterais para aspiração de comburente.

Motor Turbojato para o voo de cruzeiro. Fonte: Avibras.

Já voando com o turbojato em funcionamento, ocorre a inserção na rota por meio de ajustes no curso e do nivelamento para iniciar o voo de cruzeiro, colocando o “Matador” numa ‘proa’ de translado até o alvo. Nesta fase o míssil viaja em voo subsônico entre 200 e 300 m de altura de acordo com a geografia do terreno. O AV-TM 300 dispõe de duas pequenas asas retráteis, abertas na fase de voo de cruzeiro para conferir-lhe sustentação aerodinâmica.

Créditos: Jonatan Sarmento/Estadão. 

O AV-TM 300 é uma das armas mais letais das quais o país dispõe, e vem há anos sendo chamado de “La arma más poderosa de América Latina” por nossos vizinhos, o que pode ser interpretado corretamente, visto que considerando apenas o alcance de 300 km,  pode-se atingir qualquer país nas imediações mesmo com o lançador distante da fronteira. A adição do novo armamento ao arsenal das Forças Armadas brasileiras, sobretudo ao EB, amplia o poder bélico da força terrestre, podendo atingir alvos estratégicos além dos limites do território nacional, característica superior aos demais armamentos do arsenal do EB atualmente. O sistema Astros em uso nos dias atuais compreende quatro modelos com menor alcance, 30, 40, 60 e 80 km.

Um exemplo extremamente simplista: O disparo de um AV-TM 300 a partir de uma plataforma baseada na cidade rio grandense de Alegrete poderia atingir áreas de 3 países vizinhos, mesmo estando a cerca de 90 km da fronteira mais próxima.

Além do EB, a FAB deve dispor de uma versão própria do AV-TM 300 capaz de ser lançado de suas aeronaves, trata-se do MICLA-BR [Míssil de Cruzeiro de Longo Alcance], uma versão ar-superfície do modelo superfície-superfície.

Segundo o cronograma, o projeto previa a entrega de uma unidade ao EB em 2020, porém de acordo com a previsão ministerial, estima-se  que o míssil tático esteja disponível ao EB entre 2021 e 2022. O desenvolvimento do míssil AV-MTC de superfície deve ser concluído até dezembro de 2020, após oito anos de estudos e testes. Um lote de produção do míssil está programado para ser adquirido em 2021, informou o General José Júlio Dias Barreto, gerente de projetos do Astros 2020.

O sucesso do AV-TM 300 colocará o Brasil no seleto grupo de países detentores da capacidade de desenvolvimento de mísseis de cruzeiro, elevando ainda mais a posição do país como potência militar regional em toda a América latina. No mundo somente 14 países detém a capacidade tecnológica para produzir mísseis de cruzeiro; são eles: Na Europa (Reino Unido, França, Itália, Suécia e Noruega), Na Ásia (Rússia, China, Japão, Coreia do Sul, índia, Israel, Irã e Paquistão) e em toda a América, somente os Estados Unidos.

 O Astros 2020 é uma das plataformas para lançamento de foguetes de maior sucesso comercial no mundo. Referência mundial em sua classe e eficácia comprovada em grandes conflitos como a Guerra Irã-Iraque e a Guerra do Golfo, o sistema de foguetes terra-terra destaca-se por sua grande mobilidade e capacidade de lançar foguetes e mísseis de vários calibres a distâncias que vão do 9 aos agora 300 km. A Avibras intenciona vender o AV-TM 300 a outros países operadores do Sistema Astros 2020, que caminha para se tornar uma das plataformas de artilharia mais sofisticados de todo o mundo.

*Dissuasão: É a ideia ou teoria em que imagina-se que um delito, ofensa ou ataque possa ser evitado em decorrência da capacidade de pronta resposta do atingido, desta forma, pose se dizer que o poder dissuasório de um estado soberano está em sua capacidade de implantar em seus possíveis ofensores o medo da punição.

Produzido com conteúdo disponibilizado pela Agência Brasil.

 

 

Sobre o Autor
Mateus de Paula Vieira é Engenheiro Aeroespacial e Pesquisador, é Colunista no DefesaTV desde maio de 2020. Escreve principalmente sobre Tecnologia Aeroespacial e projetos acadêmicos de foguetes e aeronaves.
Laboratório de Jato Propulsão / Bravo Aerospace Team – Univap. bravorocketteam.github.io/homepage


Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

Ninguém do DefesaTV está autorizado a entrar em contato com os leitores. Caso deseje de alguma informação envie um e-mail [email protected]

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!