Mulheres na manutenção da paz é destaque para ONU no Dia Internacional dos PeaceKeepers

Cerimônia alusiva ao Dia Internacional dos Peacekeepers (29 de maio). O evento foi realizado em Juba, no Sudão do Sul, na sede da Missão das Nações Unidas no Sul

Mulheres na Manutenção da Paz é o tema do Dia Internacional dos Boinas-Azuis (PeaceKeepers), celebrado neste 29 de maio pela Organização das Nações Unidas (ONU).  A celebração de 2020 destaca o papel feminino nessas operações, onde atuam 95 mil civis, policiais e militares de todo o mundo.

Para marcar a data, o secretário-geral da ONU, António Guterres, divulgou um vídeo elogiando a atuação das forças de paz femininas e disse que elas “têm mais acesso às comunidades” e ajudam assim a  melhorar a proteção de civis, a promover direitos humanos e a reforçar o desempenho da organização em geral.

Pandemia

Guterres lembrou ainda que essas “promotoras da paz” se encontram na linha da frente no combate à Covid-19 em contextos precários. Elas “usam a rádio local para espalhar as mensagens de saúde pública, entregam produtos de prevenção necessários em comunidades e apoiam esforços das forças de paz locais”.

De acordo com a ONU, apenas 6% do contingente militar, de polícia e de agentes de justiça e de pessoal atuando no terreno são mulheres.

Guterres pede aos países que façam mais para que alcançar a representação igualitária em todas as áreas da paz e segurança. Este ano, a celebração coincide com o 20º aniversário da Resolução do Conselho de Segurança 1325 sobre Mulheres, Paz e Segurança.

Mais de 1 milhão de homens e mulheres já serviram como forças de paz das Nações Unidas. Nessas missões, ocorreram mais de 3.9 mi mortes de boinas-azuis em serviço.

Medalha

O chefe da ONU disse que a pandemia é um dos maiores desafios de sempre para os boinas-azuis que cumprem mandatos de paz e de segurança, ao mesmo tempo que ajudam os países a lidar com a Covid-19.

O apelo de Guterres é que haja união em favor da luta pela paz, para derrotar a pandemia e construir um futuro melhor.

A ONU realiza diversas iniciativas pelo mundo para marcar o Dia Internacional dos Boinas-Azuis. Em Nova Iorque, haverá uma cerimônia de deposição de flores e entrega virtual de medalha póstuma às famílias de 83 boinas-azuis mortos em 2019.

Também numa cerimônia online, o secretário-geral entregará o Prêmio Defensor Militar da Igualdade de Gênero da ONU à boina-azul brasileira Carla Monteiro de Castro Araújo, que atua na República Centro-Africana, e à major militar indiana Suman Gawani, que serviu no Sudão do Sul.

  • Com informações do ONU News




Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail