Navio de Assistência Hospitalar “Doutor Montenegro” inicia “Operação Acre 2019”

blank
O Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) “Doutor Montenegro”  suspendeu no dia 8 de janeiro, do Cais da Estação Naval do Rio Negro, em Manaus -AM, com destino ao município de Cruzeiro do Sul-AC, dando início à 19º edição da “Operação Acre”.
Durante a operação, que será desenvolvida até o dia 30 de abril, serão atendidas as populações de comunidades isoladas dos municípios de Juruá, Itamaraty, Carauari, Eirunepé, Ipixuna, Guajará, no Amazonas, e dos municípios de Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Mâncio Lima, no Acre, todas localizadas no Rio Juruá. Serão oferecidas consultas médicas e odontológicas; exames clínicos e laboratoriais; cirurgias de pequeno porte; pré-natal; exames de mamografia e raio-X; palestras educativas; distribuição de medicamentos; e atenção farmacêutica. A previsão é que sejam atendidas de 15 a 20 mil pessoas.
A tripulação é composta por 70 militares e inclui uma equipe de saúde de 28 militares, sendo: seis médicos, destes um clínico geral, dois radiologistas, um proctologista, um dermatologista e um ginecologista; cinco cirurgiões-dentistas; dois farmacêuticos bioquímicos; dois enfermeiros de nível superior; e 13 praças, sete deles técnicos em enfermagem, dois técnicos em radiologia médica, dois técnicos em radiologia odontológica, um técnico laboratorial e um técnico em enfermagem, que atuará como vacinador.

Sobre o Navio de Assistência Hospitalar Doutor Montenegro

blank
MISSÃO E ATIVIDADES DESENVOLVIDAS
Os Navios de Assistência Hospitalar (NAsH) têm por missão realizar atendimentos médicos e odontológicos nos “Pólos de Saúde”, por meio das Operações de Assistência Hospitalar (ASSHOP) às populações ribeirinhas, a fim de implantar uma mentalidade de saúde e cuidados de higiene, além de manter uma vigilância epidemiológica e combater endemias. As operações assistenciais na região amazônica tiveram início em 1984.
Os Navios prestam atendimento às populações ribeirinhas por ocasião de suas passagens pelas localidades. A cinemática, para tal atendimento, é feita de acordo com a programação estabelecida pelo Comando do 9º Distrito Naval e pelo Comando da Flotilha do Amazonas. A bordo, há uma equipe de saúde que atua nas áreas médica e odontológica, podendo realizar exames laboratoriais de análises clínicas, dermatológicos e radiológicos, além de partos vaginais, pequenas cirurgias, tratamento odontológico e vacinação em larga escala.
Com a parceria entre a Marinha do Brasil e o Ministério da Saúde, promove-se, a cada ano, atendimento aos seguintes “Pólos de Saúde”: Amazonas / Tapajós / Trombetas / Nhamundá / Paraná do Ramos; Juruá “A”; Juruá “B”; Juruá “C”-Acre; Madeira; Negro / Branco; Purus “A”; Purus “B”; Purus “C”-Acre; Solimões “A” / Japurá / Aranapú / Auti-Paraná / Paraná do Copeá; Solimões “B” / Iça / Javari; e Xingú / Jarí / Marajó / Tocantins.
Além do acima exposto, o NAsH Doutor Montenegro, especificamente, de acordo com o contrato de cessão de uso assinado entre a Marinha do Brasil e o Estado do Estado do Acre, realiza às ações de assistência à saúde das populações ribeirinhas, da região Amazônica, em especial ao Estado do Acre. A primeira comissão ao Estado do Acre durou 4 meses e foi denominada de Comissão Acre I, na qual o Navio foi até Marechal Thaumaturgo, quase fronteira com o Peru. Desde então, esta comissão é realizada nos mesmos moldes, sempre aproveitando o período de cheias do rio Juruá, que é de novembro até maio.
HISTÓRICO
O Hospital Fluvial Dr. Manoel Braga Montenegro terminou de ser construído em janeiro de 1997, sob encomenda do então Governador do Estado do Acre o Sr. Orleir Messias Cameli, no estaleiro Conave, em Manaus, sendo entregue na cidade de Rio Branco-AC. Viajou, então, quatro meses pelo rio Envira, estabelecendo-se na cidade de Feijó-AC por oito meses. Após este período viajou por cinco meses no alto Juruá, estabelecendo-se na cidade de Marechal Thaumaturgo. De novembro de mil novecentos e noventa e oito a janeiro de dois mil ficou sediado em Cruzeiro do Sul-AC.
Após entendimentos entre o Ministério da Saúde, o Governo do Estado do Acre e o Comando da Marinha do Brasil ficou decidido que o Navio seria transferido para Marinha por contrato de Cessão de uso a ser celebrado entre esta e o Governo do Estado do Acre. Em três de janeiro do ano de dois mil foi iniciado o reboque do Navio entre as cidades de Cruzeiro do Sul-AC e Belém-PA, tendo o mesmo atracado na Base Naval de Val-de-Cães em dezessete de janeiro do mesmo ano, onde tiveram início as obras de transformação, reparos e instalações de novos equipamentos, com o propósito de alcançar os requisitos de segurança exigido para ser incorporado pela Marinha do Brasil.
Em dois de maio do ano de dois mil, após o período de conversão o Navio de Assistência Hospitalar Doutor Montenegro desatracou da Base Naval de Val-de-Caes rumo a Manaus. Às 10:00 horas do dia dezenove de maio do ano de dois mil, na Estação Naval do Rio Negro, em Manaus, em cerimônia de mostra de armamento, presidida pelo Exo Sr. Almirante-de-Esquadra José Alberto Accioly Frageli, Chefe do Estado-Maior da Armada, foi incorporado o Navio à Marinha do Brasil de acordo com a portaria número cento e cinquenta e sete, de dezessete de maio de dois mil, do Comandante da Marinha, do que, para constar, mandou que fosse lavrado o termo, conforme dispõe a Ordenança Geral para o Serviço da Armada, artigo 1-3-2, assumindo o Cargo de Comandante do Navio o Capitão-de-Corveta Carlos Emmanuel Rodrigues da Silva.
NOME (EXPLICAÇÃO OU QUEM FOI)
A Marinha do Brasil escolheu para ser o nome do “Doutor Montenegro”, sendo o primeiro Navio da Armada a receber este nome.
O nome “Doutor Montenegro” é uma homenagem ao ilustre médico acreano Doutor Manuel Braga Montenegro, um homem simples, de poucas e boas palavras e sempre disposto ao trabalho. Assim, pode-se definir o perfil do médico Manoel Braga Montenegro, o doutor Braga, nascido na cabeceira do rio Liberdade em 14 de março de 1927, filho de uma família de imigrantes cearenses, doutor Braga é o mais velho dentre os seis filhos deste casal. Aos nove anos deixou sua terra natal em busca de uma educação de melhor qualidade, indo para a cidade de Manaus-AM, onde cursou os estudos até o ginásio. Depois foi para Fortaleza e Recife e em seguida para Belo Horizonte, onde fez o curso de medicina na Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, sendo um dos formandos da primeira turma da faculdade no ano de 1956.
Em 20 de outubro de 1957, retornou para Cruzeiro do Sul-AC, onde começou a trabalhar como médico no posto de saúde, que funcionava no local onde hoje é a agência do Banco do Brasil, e também prestava assistência à pessoas contaminadas pela Hanseníase, que viviam isoladas nos rios da região. Com a inauguração do Hospital Geral de Cruzeiro do Sul, passou a trabalhar nele.
Doutor Braga é casado com a cruzeirense Maria Lúcia de Oliveira Montenegro, devido à idade avançada e aos derrames sofridos, doutor Braga não está mais atendendo a população.
MASCOTE E LEMA
blank
Com Informações da Marinha do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here