Novo diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Adriano Furtado, revela que irá lutar por concursos anuais

O novo diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Adriano Marcos Furtado, pretende lutar por concursos anuais para a PRF. O chefe da corporação esteve reunido com representantes do sindicato da carreira e foi receptivo às pautas propostas pela entidade. Além de Adriano Furtado, o presidente da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), Deolindo Carniel, e o vice-presidente da entidade, Dovercino Neto, receberam o diretor executivo do órgão, José Lopes Hot. Os membros da PRF ratificaram a importância de manter diálogo entre as duas entidades.

Entre as pautas propostas, o presidente da FenaPRF, Deolindo Carniel, comentou sobre a importância de aumentar o número de policiais para reforçar o quadro da instituição. Para isso, ele solicitou ao novo diretor que lute junto ao governo pela realização de concursos anuais. Segundo Carniel, a medida visa acabar com o grande déficit da corporação e conseguir chegar a preencher o número de vagas previstas em lei. Atualmente, a corporação conta com pouco mais de 10 mil policiais, o que acarreta em uma carência de mais de 3 mil servidores.

Adriano Furtado é o novo diretor da PRF e lutará para repor o quadro
(Foto: Divulgação/PRF)

De acordo com a FenaPRF, Andriano Furtado se mostrou receptivo aos pedidos do presidente. O novo diretor-geral disse que buscará formas de cumprir as solicitações e lutará para que os concursos possam ser realizados. A presidência da federação reafirmou que o déficit atrapalha o funcionamento das atividades e poderá chegar a 5 mil policiais em 2020, segundo Carniel. “Demonstra que os gestores do DPRF estão dispostos a trabalhar em conjunto com o sistema sindical. Tenho certeza que se mantivermos essa união em pautas e lutas traremos muitos ganhos para a categoria”, disse o presidente da federação.

Em março de 2018, inclusive, o ex-diretor da corporação, Renato Dias, comentou sobre o grande déficit da PRF. Segundo ele, o número ficaria ainda maior ao fim daquele ano. As 500 vagas que são oferecidas no concurso que está em andamento não serão suficientes. Isso porque a PRF já garantiu que serão preenchidas somente as 500 vagas imediatas, sem a previsão de formar um cadastro de reserva para chamar excedentes. Segundo uma estatística feita com dados obtidos no Painel Estatístico de Pessoal (PEP) do Ministério do Planejamento, as vagas não suprem nem mesmo as aposentadorias A corporação já teme mais de 700 aposentadorias desde o término da validade do último concurso. Outro dado relevante é que a Polícia Rodoviária Federal conta com aproximadamente o mesmo efetivo de 1994.

PRF deverá realizar novo concurso em 2019

Antes mesmo do edital com 500 vagas ser publicado, a Polícia Rodoviária Federal já previa a realização de um novo concurso público em 2019. A informação foi divulgada pelo então diretor-geral, Renato Dias, ao responder questionamentos de seus seguidores no Facebook. O ex-diretor foi perguntado sobre a possibilidade de um novo concurso em 2020, tendo em vista as aposentadorias.

Diretor-Geral da PRF se reúne com representantes da federação
(Foto: Reprodução/FenaPRF)

Renato, por sua vez, confirmou que a nova seleção aconteceria já em 2019, mas não antecipou sobre os preparativos. Mesmo sem muitas informações, Renato adiantou que o próximo edital contemplaria “muito mais vagas”, ou seja, com uma oferta maior do que as 500 oferecidas no atual edital. O novo diretor-geral da corporação Adriano Furtado, no entanto, não falou sobre o concurso de 2019 na reunião com a federação. De acordo com a FenaPRF, ainda não há mais detalhes ou previsão sobre esse próximo edital.

Concurso terá provas em fevereiro

Após o pagamento das taxas ter sido encerrado no último dia 15, a próxima etapa do atual concurso PRF será a divulgação dos locais e horários das provas objetiva e discursiva. Os exames estão agendados para 3 de fevereiro, domingo. Os exames serão realizados em todas as Unidades Federativas (UF’s) com oferta de vagas. O candidato pôde escolher pelo local de lotação no ato da candidatura. As provas terão caráter eliminatório e classificatório, sendo realizadas em até quatro horas e meia.

A objetiva terá 120 questões no estilo Cesbraspe, certo ou errado, enquanto a discursiva será uma redação. O concurso teve o edital publicado em 28 de novembro, após uma longa espera por parte dos candidatos. São oferecidas 500 oportunidades para provimento imediato, podendo concorrer graduados em qualquer área com carteira nacional de habilitação. O cargo proporciona uma remuneração inicial de R$10.357,88, valor atualizado em 2019, já atribuído ao auxílio-alimentação de R$458. O prazo de validade será de 30 dias, contados a partir da publicação da homologação final do curso de formação, podendo ser prorrogado uma única vez, por igual período.

Conheça o cargo

O cargo de policial rodoviário federal foi criado em 23 de julho de 1935, sob o nome de inspetores de tráfego. Por esse motivo, na data é celebrado o dia do policial rodoviário federal. Estão entre as atribuições dos policiais rodoviários federais as seguintes atividades:

  • Preservar a ordem, a segurança pública e o patrimônio da União, por meio do patrulhamento ostensivo das rodovias federais;
  • Atuar na prevenção de acidentes e realizar o atendimento a vítimas nas rodovias federais;
  • Realizar o policiamento, a fiscalização e a inspeção do trânsito e do transporte de bens e pessoas;
  • Exercer os poderes de autoridade de trânsito, autuando infratores, cobrando e arrecadando multas;
  • Assegurar a livre circulação das vias, especialmente em casos de acidentes de trânsito, manifestações sociais e calamidades públicas; e
  • Realizar a escolta de autoridades nacionais e internacionais, quando solicitado.

Fonte: Folha Dirigida
Publicado em: 17/01/19
Por: Matheus Carvalho



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below