O Brasil e os “Force Commanders” e seus “Staff” na MONUSCO

Nos últimos 20 anos da Missão das Nações Unidas no Congo (MONUSCO), nove Oficiais Generais de diversos “Países Contribuintes de Tropa” (Troop Contributing Countries/TCC) ocuparam a função de Chefe do Componente Militar (Force Commander/FC) na República Democrática do Congo (RDC).

Destes nove militares, três são brasileiros que imprimiram e ainda imprimem um nível elevado de profissionalismo no comando das tropas.

Devido a sua trajetória profissional-militar, os “Force Commanders” brasileiros foram selecionados pelo Departamento de Operações de Paz (DPO) da ONU, concorrendo com outros candidatos internacionais tão qualificados quanto os nacionais.

Nos períodos de abril de 2013 a dezembro de 2015; maio de 2018 a outubro de 2019 e; outubro de 2019 até o presente momento, os “FC” brasileiros assumiram um protagonismo internacional no combate aos grupos armados e na proteção de civis na RDC.

Fruto das experiências vividas no período de 2013 a 2015, surge um documento da ONU, “o Relatório Cruz”, que coloca em discussão a realidade do teatro de operações das missões de paz e as demandas na capacitação e no treinamento das tropas.

Atualmente, segundo dados do DPO/ONU (junho/2020), atuam 14.229 militares, sendo 13.514 homens e 715 mulheres que estão sob a responsabilidade do atual Chefe do Componente Militar, o general de divisão Costa Neves.

  • Com informações do CCOPAB; Fotos: Divulgação ONU


Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

 

Caso deseje conversar com outros usuários escolha um dos aplicativos abaixo:



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail