Onda solitária subaquática: entenda a possível causa do acidente com submarino na Indonésia

Segundo imagens de satélite consultadas por oficiais navais indonésios, ondas enormes foram vistas no local no momento do desaparecimento do submarino.

blank
Familiares e colegas da tripulação do KRI Nangagala, jogam flores em homenagem aos mortos, durante cerimônia a bordo do navio da Marinha indonésia KRI Soeharso nas águas de Bali

Google News

Uma onda solitária subaquática, pode ter atingido o submarino militar KRI Nanggala-402 e causado a morte de sua tripulação. O submarino foi encontrado quebrado em três partes no fundo do mar na costa de Bali, na Indonésia, no último domingo (25) após desaparecer no dia 21 de abril.

A Nasa explicou que a combinação de fortes correntes de maré, um fundo oceânico acidentado e a troca de água entre dois canais (um raso e outro profundo) “tendem a se combinar a cada 14 dias para criar um fluxo de maré excepcionalmente forte”.

A onda solitária subaquática é invisível e pode ter “subido da base para o norte”, disse o comandante da Escola de Comando e Estado-Maior da Marinha da Indonésia, contra-almirante Iwan Isnurwanto.

“Há uma trincheira entre duas montanhas. Não havia nada que eles pudessem fazer, nenhum tempo para fazer nada se o submarino fosse derrubado por tal onda. Provavelmente inclinou [para baixo], fazendo com que todos os membros da tripulação rolassem para baixo”, detalhou.

A Marinha da Indonésia espera confirmar o motivo do acidente o quanto antes. Duas hipóteses levantadas anteriormente apontavam para um possível blecaute ou até mesmo que o KRI Nanggala-402 havia sido atingido por um míssil.

Roupas dos tripulantes foram encontradas

O chefe do Estado-Maior da Marinha do país, Yudo Margono, informou que o submarino havia sido encontrado e comandante das Forças Armadas da Indonésia, Hadi Tjahjanto, confirmou que “todos os 53 tripulantes morreram”.

Um veículo de resgate subaquático fornecido por Singapura foi usado para obter a confirmação visual após as autoridades indonésias receberem sinais do local do naufrágio – a mais de 2.600 pés (800 metros) de profundidade – na madrugada deste domingo (25).

Além das três partes da embarcação, foram encontradas uma âncora e roupas de segurança usadas pelos tripulantes. A investigação também detectou uma mancha de óleo na área onde a embarcação naufragou, sugerindo o rompimento do tanque de combustível.

Buscas chegaram ao fim

A Marinha da Indonésia anunciou, na manhã do último sábado (24), que destroços do submarino haviam sido encontrados e que não havia esperanças de encontrar sobreviventes.

“Conforme as nossas descobertas e dos elementos que vêm do  ‘KRI Nanggala’, alteramos a situação do submarino de desaparecido para ‘afundado’”, declarou Yudo Margono em coletiva de imprensa.

Durante a coletiva, o almirante chegou a detalhar que o submarino deve ter rachado gradualmente, conforme foi afundando. Esse processo teria acontecido quando ele estava em uma profundidade de 300 a 500 metros.

  • Com informações do site Olhar Digital


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: