Operação “ADEREX-Anfíbia/Superfície 2021” eleva capacidade operativa e expedicionária da Marinha

blank
Convoo do NAM "Atlântico" com cinco aeronaves

Mais de 2.300 militares participaram da comissão, distribuídos em dez navios da Esquadra e dos Comandos do 1º e 2º Distritos Navais, durante os nove dias de intensos exercícios e adestramentos no mar, no ar e em terra, da Operações “ADEREX-Anfíbia/Superfície 2021”.

Desta forma chega ao fim a operação, após cumprirem a missão de realizar exercício de assalto anfíbio, com o emprego coordenado de meios navais, aeronavais e de unidades da Força de Fuzileiros da Esquadra.

O dia do assalto anfíbio, conhecido como “Dia D”, foi marcado pela realização do desembarque da tropa simulando a retomada de território hostil, na Praia de Itaoca, município de Itapemirim (ES).

blank
Fuzileiro Naval em ação na Praia de Itaoca (ES)

Fuzileiros Navais e elementos de Operações Especiais dos Comandos Anfíbios e de Mergulhadores de Combate, a bordo dos navios da Esquadra, foram transportados por meio aquático e aéreo até a praia, onde realizaram técnicas de infiltração por Fast RopeTerthered Duck, ações de reconhecimento e exercícios de deslocamento tático.

Durante toda a Operação, a capacidade operativa dos meios foi testada em exercícios de tiro, fainas marinheiras e operações aéreas. Para demonstrar a técnica de combate aéreo a incêndios, um adestramento de Bambi Bucket foi realizado, a bordo do NAM “Atlântico”, com apoio do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1).

Para o Comandante da 1ª Divisão da Esquadra e do Grupo-Tarefa, Contra-Almirante Marcio Tadeu Francisco das Neves, a Operação “ADEREX- Anfíbia/Superfície 2021”, contribuiu para elevar a capacidade operativa e expedicionária da Marinha e destacou o cumprimento de todos os protocolos de segurança estabelecidos para combater a Covid-19.

  • Com informações do CCSM