Operação de resgate do navio “Viking Sky” é considerada a maior do século XXI

Imagem via Agence France Press.
Subscribe
Voiced by Amazon Polly

O navio “Viking Sky” da empresa Viking Ocean Cruises – uma linha de cruzeiros que oferece cruzeiros fluviais e oceânicos, com sede em Basileia, na Suíça – teve uma falha mecânica em situação de condições meteorológicas especialmente adversas, muito perto da linha de costa da Noruega nesse 

O incidente ocorreu por volta da 14h a poucas milhas marítimas da costa da região de Møre og Romsdal (no oeste da Noruega), uma região onde já ocorreram vários naufrágios, quando o navio navegava de Tromsø (norte) para Stavanger (sudoeste), com 1.373 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulantes – num cruzeiro de 12 dias, compartida de Bergen e témino em Londres-Greenwich, com o tema “Northern Lights”.

O navio de cruzeiro, com o nº IMO 9650420 e bandeira norueguesa, tem uma tonelagem de arqueação de 47842 e medindo 228.28m × 34m (cff x boca) é uma unidade muito recente (2017), tendo capacidade para 930 passageiros.

Com o navio sem propulsão, a uma distância perigosamente curta de terra e as condições climatéricas extremas (a mídia norueguesa relatou rajadas de vento de até 38 nós (71 km/h) e ondas acima de 8 metros (26 pés) na área), o capitão difundiu o pedido de emergência, pelo que as autoridades desencadearam de imediato os procedimentos de busca e resgate, com recurso a meios marítimos e aéreos.

Quatro helicópteros iniciaram de imediato a operação de resgate dos passageiros. Chegaram a ser 6 os helicópteros destacados para o efeito. Outros navios foram, entretanto, desviados para a área, ao mesmo tempo que foi aberto um centro de acolhimento em terra para os passageiros. Todas as equipas de busca e resgate disponíveis na região trabalharam no resgate os passageiros, incluindo 60 voluntários da Cruz Vermelha Norueguesa.

Cerca das 16:00 locais (14:00 em Lisboa), já trinta pessoas tinham sido retiradas pelos três helicópteros enviados para o local e a tripulação havia logrado arrancar um dos motores e fundeado o navio, a cerca de 1,2 milha de terra. O pescador Jan Erik Fiskerstrand, cujo barco fora um dos primeiros a chegar junto do MV Viking Sky, disse ao jornal Aftenposten: “Foi por apenas alguns minutos que a tragédia se não consumou. O navio poderia ter atingido as rochas, se não tivessem, entretanto, ligado o motor e lançado a âncora”. 

Posteriormente, cerca de três horas depois (19:20), um navio de carga (“Hagland Captain”) com nove tripulantes, que havia sido desviado da sua rota na tentativa de assistir o cruzeiro norueguês, também sofreu avaria de máquina com perda de propulsão e a sua tripulação teve que se lançar às águas, para ser resgatada pelos socorristas e dois helicópteros, entretanto desviados do primeiro cenário de crise.

Os 1.373 passageiros e tripulantes a bordo do navio de 300 milhões de libras esterlinas são originários de 16 países diferentes, a grande maioria turistas britânicos e americanos.

Segundo as autoridades, a operação de resgate continuou por toda a noite e, de acordo com o jornal norueguês VG, as equipas de resgate retiraram 479 dos 1.373 passageiros e tripulantes do navio até ao início da tarde de hoje.

Entretanto, o Centro de Resgate Conjunto da Noruega, disse ao The Guardian que o capitão do Viking Sky havia solicitado que as evacuações fossem interrompidas devido ao facto de a tripulação haver conseguido arrancar com outros dois motores, seguindo o navio escoltado para o porto de Molde pelos seus próprios meios e escoltado por dois rebocadores, a cerca de 7 a 8 nós.

A Reuters informou que 479 das 1.373 pessoas a bordo haviam sido resgatadas. Dessas, 20 foram hospitalizadas e, segundo a televisão pública norueguesa NRK, três estarão em estado grave. A Viking informou, ainda, que os hóspedes serão acomodados em hotéis locais quando chegarem a terra e que providenciará voos de retorno para todos os hóspedes.

Foram surgindo ao longo das últimas horas Imagens dramáticas de dentro do navio, que mostram passageiros aguardando pelo resgate e sofrendo as consequências dos fortes balanços experimentados pelo navio.

Já a meio da tarde deste domingo, o Viking Sky chegou a porto, com os restantes passageiros e tripulantes sãos e salvos.

Há cerca de um ano, mais precisamente a 12 de Março de 2018, o Viking Sky fez a sua estreia na Madeira, numa escala de algumas horas no Porto do Funchal.

Fontes: Reuters, GCaptain, Fleetmon.com, World Maritime News via Redação Orbis Defense Europe.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here