Parlamento russo aprova lei que proíbe militares de tirar selfies e de fazer ‘check-ins’

blank

A Câmara baixa do Parlamento Russo (DUMA), aprovou lei que proíbe seus militares em fazer fotos ou selfies em locais sensíveis e de compartilhar informações pessoais em redes sociais que permitam localizá-los ou identificá-los.

A lei fora aprovada com 90,7% de votos a favor, segundo informaram agências russas. Ela irá agora o Conselho da Federação, equivalente ao Senado. Depois, vai à sanção do presidente Vladimir Putin.

A medida tem duas funções. Uma, mais óbvia, é de sigilo sobre a atividade dos militares. A outra é uma reação ao trabalho de sites investigativos, como Bellingcat ou Meduza, que se especializam em buscar divulgar informações que a grande mídia russa evita publicar para não contrariar o governo.

Nos últimos anos, o uso de informação aberta na rede permitiu, por exemplo, localizar soldados russos em ação nas áreas separatistas pró-Moscou do leste da Ucrânia. Para o governo, esse tipo de reportagem ameaça a segurança nacional.

A lei institucionaliza uma norma de 2017 do Ministério da Defesa russo, que recomendava às tropas discrição: nada de selfies, fotos de colegas fardados ou “checkins” que permitam a jornalistas ou a inimigos localizarem os militares.

  • Com agências internacionais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here