Patrulha Russa é atacada por rebeldes sírios com aparente apoio de militares dos EUA

blank
Imagem de captura de tela, onde aparecem militares dos EUA em companhia dos rebeldes que atacaram a patrulha russa. Vídeo em anexo na matéria via @DeirEzzor.

Em 19 de novembro, uma patrulha da Polícia Militar russa na Síria foi atacada depois de entrar no interior do leste de Deir Ezzor, região que é mantida ocupada pelas Forças Democráticas Sírias (SDF, rebeldes anti-Assad) apoiadas pelos EUA.

Homens armados locais, a maioria dos quais membros do Conselho Militar Deir Ezzor (DMC) da SDF, abriram fogo com  rifles de assalto contra a patrulha logo depois que ela passou pelo cruzamento de al-Salhiyyah que separa as áreas do governo e controladas pela SDF. Os rebeldes aparentemente já esperavam a patrulha.

A patrulha russa, composta por quatro veículos blindados, foi escoltada por dois helicópteros. No entanto, eles não responderam fogo contra os agressores, porque muitos civis desarmados estavam presentes no local, servindo de escudo humano aos rebeldes.

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos com sede em Londres e outras fontes da oposição síria, nenhum militar russo foi ferido. O Ministério da Defesa da Rússia não comentou sobre o perigoso incidente, até agora.

Após o ataque, a coalizão liderada pelos EUA implantou uma unidade perto do cruzamento de al-Salhiyyah. Militares americanos uniformizados foram vistas lado a lado com os homens armados que realizaram o ataque.

Em outubro , um grupo de combatentes do grupo rebelde DMC impediu uma patrulha da Polícia Militar russa de entrar na cidade de al-Jininah, no interior de Deir Ezzor. Naquela época, eles não atiraram na patrulha nem tentaram atacar as tropas russas.

O grupo rebelde DMC, liderado pelo ex-membro do ISIS Rashid Abu Khawla, é famoso por suas atividades criminosas, principalmente petróleo e tráfico de drogas. A formação tem relações muito estreitas com a Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA).

É altamente improvável que os rebeldes do DMC agiram por conta própria. O ataque à patrulha russa pode ter sido uma provocação planejada para manter as tropas russas longe da parte controlada pela SDF de Deir Ezzor. A SDF, cujas tropas em acordo com os russos deveriam escoltar e proteger a patrulha, ainda não comentou o incidente.

O ataque provavelmente não ficará impune. As forças russas na Síria poderiam responder atacando postos do DMC, ou mesmo suas operações ilegais de tráfico de petróleo e drogas.

  • Com informações SANA Syria, STFH Analysis & Intelligence, Syrian Observatory Human Right Watch (Observatório Sírio de Direitos Humanos) e redes sociais, via redação Orbis Defense Europe/Paris.