Pentágono ainda mantém 18 mil funcionários (e PMC’s) no Afeganistão

Os soldados das forças especiais do Iraque instruem-se mutuamente nos exercícios usados ​​para limpar um bunker inimigo em Camp Taji, em 16 de março de 2020. Praticamente 100% dos instrutores são militares de nações da OTAN ou de empresas civis especializadas em segurança. As forças especiais do Iraque lutam contra o ISIS interrompendo as operações inimigas. Photo por Sgt. Robert Douglas/U.S. Army.

Google News

Embora o número de soldados dos EUA no Afeganistão tenha caído para 2.500 militares, entre pessoal operacional e de apoio, uma forte presença dos EUA permanece na forma de funcionários civis em atividades diversas trabalhando para o Pentágono, sendo estes aproximadamente 6.000 americanos e 7.300 extrangeiros de diversas nacionalidades.

Entre esses diversos “funcionários civis” estão milhares de PMC’s (Private Military Contractors), em um número desconhecido, pois muitos são contratados com declarações diferentes das funções que exercem.

Exemplo são os PMC’s que atuam em atividades de escolta e segurança de instalações, que geralmente são declarados como pessoal administrativo ou atividades logísticas, entre outras.

De acordo com um relatório divulgado pelos militares dos EUA nesta semana, há mais de 18.000 contratados no Afeganistão. Os números significam que o Pentágono emprega cerca de sete contratados para cada membro do serviço dos EUA no Afeganistão.

No auge do aumento do presidente Obama no Afeganistão, havia cerca de um contratado para cada soldado americano. À medida que o número de tropas diminuía, o Pentágono aumentava a dependência de contratados.

Cerca de 4.700 dos atuais contratados são afegãos contratados localmente. O restante são estrangeiros, incluindo cerca de um terço que são cidadãos americanos.

O Pentágono anunciou na sexta-feira passada que completou a retirada de tropas no Afeganistão, deixando 2.500 soldados no país, o menor número desde 2001. O acordo de paz entre os EUA e o Taleban assinado em fevereiro prevê a retirada total dos EUA do país até a primavera de 2021.

Não está claro se o governo Biden seguirá com a retirada que foi organizada por Donald Trump. O profundo entrincheiramento de empreiteiros contratados no país mostra que há muitos interesses em manter o conflito de quase 20 anos.

Abaixo, o link para o documento oficial do U.S. DoD, de junho de 2020, com 102 páginas, que explica todo o procedimento da retirada das tropas dos EUA do e de outros elementos e instituições que permanecerão no Afeganistão:

https://media.defense.gov/2020/Jul/01/2002348001/-1/-1/1/ENHANCING_SECURITY_AND_STABILITY_IN_AFGHANISTAN.PDF

  • Com informações U.S. DoD, STF Analysis & Itelligence e Anti War.com via redação Orbis Defense Europe.

https://www.defense.gov/Explore/News/Article/Article/2473884/us-completes-troop-level-drawdown-in-afghanistan-iraq/



Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio:


Comments are closed.