PHA Dixmude da Marinha Francesa intercepta navio e apreende seis toneladas de drogas

blank
De 02 de fevereiro de 2021 a 23 de abril de 2021, o porta-helicópteros anfíbio (PHA) Dixmude participa da missão Corymbe no Golfo da Guiné. O Golfo da Guiné é uma área que abriga recursos naturais significativos, um pólo importante do desenvolvimento africano, mas sujeito a uma variedade de ameaças (pesca IUU, roubo, outros tráficos ilícitos e ilegais). Através da missão Corymbe, a Marinha Francesa visa reduzir a insegurança marítima na área, mobilizando quase permanentemente uma a duas embarcações na área desde 1990, tem cooperado com as marinhas costeiras para aumentar o seu know-how, atua em coordenação com as marinhas aliadas e em particular as europeias no âmbito do conceito de “presenças marítimas coordenadas” (CMP), apoia as operações e as forças francesas presentes na região e, finalmente, participa na defesa dos interesses franceses e dos seus nacionais. Foto via Marine Nationale (Marinha Francesa).

Google News

Aconteceu uma apreensão impressionante de drogas no Golfo da Guiné. Uma operação realizada a partir do porta-helicópteros anfíbio (PHA) Dixmude encontrou 6 toneladas de cocaína a bordo de um navio cargueiro oriundo da América do Sul no domingo, 21 de março.

O navio que transportava a droga é o cargueiro “Najlan”, de 105 metros de comprimento com bandeira de conveniência de São Cristóvão e Névis ( oficialmente Federação de São Cristóvão e Neves ou Névis é um micro-país das Caraíbas), que partiu do Rio de Janeiro no dia 5 de março.

Depois de uma travessia do Atlântico de duas semanas sob estreita vigilância, a equipe de visita e inspeção do PHA Dixmude da Marine Nationale abordou e embarcou no navio para efetuar inspeção padrão dentro das leis internacionais, e consegiu encontrar mais de 6.000 quilos de drogas entre a carga.

A tripulação cooperou, e não ofereceu resistência aos militares franceses efetuarem busca a bordo. Não houve detenções e o navio pôde retomar livremente a sua viagem para Abidjan (Costa do Marfim) após ter obtido a autorização do Ministério Público de Brest.

Não foram divulgadas maiores informações sobre os procedimentos legais que permitiram a liberação da tripulação e da embarcação mesmo depois de tal quantidade de drogas ser encontrada à bordo.

Foram mobilizados na operação um número de mais de duas dezenas de militares, dois barcos semirrígidos, além de um helicóptero Alouette III e um drone Camcopter S-100 para realocar a carga e monitorá-la discretamente.

A operação foi liderada pelo prefeito marítimo do Atlântico e pelo procurador de Brest. Foi realizado com base em informações transmitidas pelo Gabinete Antinarcóticos Francês (OFAST), pela Polícia Holandesa em colaboração com o Centro Operacional de Análise de Inteligência Marítima para Entorpecentes (MAOC-N, com sede em Lisboa), Europol e a Polícia Federal do Brasil.

Um fato que é observado nos últimos anos é que o tráfico de drogas agora tem novos e generosos compradores entre os grupos terroristas islâmicos da Africa, que compram muita quantidade de drogas que antes era destinada para a Europa, e agora é distribuída aos jovens que se engajam nas guerrilhas dos grupos terroristas islâmicos na Africa e Oriente Médio.

O Dixmude está implantado no Golfo da Guiné no âmbito da Operação Corymbe, o que permite além de garantir uma presença naval francesa permanente na região, contribuir para o combate à insegurança marítima e ao tráfico ilícito.

  • Com informações INTERPOL, Marine Nationale (Marinha Francesa) e EUROPOL, via redação Orbis Defense Europe.


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

Assine nossa Newsletter


Receba em seu e-mail as últimas notícias do DefesaTV, é de graça!

Assista nosso último episódio:

Comments are closed.