“Plano de resolução para o leste da Ucrânia” ou uma guerra em curso?

blank
Imagem ilustrativa com arte redação OD e foto Ukranian MoD.

O governo da Ucrânia tem planejado junto com a Alemanha e a França uma provável solução para a guerra civil no Leste da Ucrânia e aguarda a reação da Rússia, Andrey Yermak, disse o chefe de gabinete do presidente Volodymyr Zelensky em 10 de março.

Yermak disse ter um plano de paz específico, proposto pela Alemanha e pela França, que, segundo eles, está em conformidade com o Protocolo de Minsk, ao abrigo das normas do direito internacional.

“É uma proposta pacífica e esperamos a mesma posição da Federação Russa”; disse Yermak em uma videoconferência sobre o conflito no Leste da Ucrânia.

Acrescentou ainda que, “na opinião da Ucrânia, se este plano for aprovado pode tornar-se o roteiro para o estabelecimento da paz no Leste da Ucrânia, reintegrando territórios não controlados por Kiev e realizando eleições locais”.

Yermak expressou que “espera que o plano se torne um tópico de debate durante a próxima reunião no formato da Normandia”.

Em resposta, em 10 de março, o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov disse que “ele não tem nenhuma informação sobre algum novo plano para um acordo de paz o líder ucraniano Volodymyr Zelensky” anunciou.

Falando sobre os contatos potenciais entre os líderes russos e ucranianos, Vladimir Putin e Vladimir Zelensky, o porta-voz do Kremlin observou que Moscou ainda não havia recebido ofertas para organizar tais reuniões.

“Da mesma forma, não há um novo plano discreto ‘na mesa’”, enfatizou. “A essa altura, não entendíamos muito bem, porque não temos nada sobre a mesa, não vimos nenhum plano.”

Moscou não recebeu ofertas por meio dos canais diplomáticos para organizar contatos bilaterais entre os líderes russos e ucranianos, Vladimir Putin e Vladimir Zelensky, informou Dmitry Peskov.

Quando questionado se a Ucrânia se ofereceu para organizar algum contato entre Putin e Zelensky, Peskov afirmou:

“Todos nós ouvimos inúmeras declarações do presidente ucraniano sobre seu desejo de organizar uma reunião da Normandia o mais rápido possível, e estamos sempre discutindo isso durante as reuniões entre ministros e assessores presidenciais.”

Quando se trata de uma visita específica ou de qualquer contato bilateral, não recebemos nenhuma iniciativa concreta por meio dos canais diplomáticos”, disse ele.

Quando questionado sobre se há planos de realizar uma chamada telefônica entre os líderes russos e ucranianos, Peskov disse:

“Até agora não. Se necessário, eles podem ser aprovados com bastante rapidez, porém, não há contatos planejados ”, destacou.

Além disso, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que a Rússia nada sabia sobre tal plano, disse o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Andrei Rudenko.

“Que tipo de plano de paz é esse? Não sabemos nada sobre um plano de paz que a França e a Alemanha teriam proposto. É a primeira vez que ouço falar disso ”, disse Rudenko.

É um suposto plano elaborado pela Alemanha e França, mas ajustado pela Ucrânia. A Rússia já está sendo acusada de impedi-lo e de buscar uma escalada.

A Fundação Jamestown alegou que a Rússia estava escalando a guerra no leste da Ucrânia e que Kiev era simplesmente uma vítima de toda a situação.

O governo de Kiev foi simplesmente forçado a censurar canais de TV e mídia da oposição, bem como sancionar seus próprios parlamentares, especialmente da “Plataforma de Oposição ” Pela Vida!”. Afinal, eles foram apelidados de aliados de Putin e não havia como perpetuar a “agressão russa”.

A “análise” incrivelmente tendenciosa da Fundação Jamestown conclui com o seguinte ”:

“As autoridades ucranianas estão tentando conter o ataque da beligerância na mídia de Moscou, anunciando que a Ucrânia está pronta para enfrentar um ataque inimigo, mesmo que ele assuma a forma de uma invasão massiva. De acordo com o assessor do Ministério do Interior Valery Potseluyko, “Nós [o governo ucraniano] entendíamos que haveria uma resposta séria de Moscou aos nossos movimentos contra os canais de TV pró-russos e Medvedchuk; mas a hora de começar uma ofensiva militar está errada – os campos devem primeiro secar ”. Na verdade, a neve está implorando para derreter na Planície do Leste Europeu (Sarmatic). Atualmente é Rasputitsa ou temporada de lama, o que é incrivelmente problemático para a guerra de manobra ofensiva. Talvez faltem seis a oito semanas antes que a retórica beligerante e os bombardeios esporádicos no Donbass possam realmente se transformar em algo muito mais sinistro. ”

Em resposta, e com o apoio de muitas evidências, a Rússia pediu às autoridades ucranianas que cessassem e desistissem de qualquer tentativa de aumentar a escalada e implementar um cenário de guerra no leste da Ucrânia, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Maria Zakharova.

“Gostaríamos de alertar o regime de Kiev, os cabeças-quentes que o servem ou manipulam, sobre uma nova escalada e tentativas de implementar um cenário de força em Donbass”, disse ela, segundo a agência de notícias TASS.

O diplomata respondeu nesses termos a declarações de Leonid Kravchuk, chefe da delegação ucraniana do Grupo de Contacto para a procura de uma solução para o conflito.

Ela alertou sobre certas “medidas radicais” da parte de Kiev caso a Federação Russa não fosse reconhecida como parte do conflito no leste da Ucrânia.

Segundo Zakharova, a retórica dos representantes ucranianos “faz-nos pensar nas verdadeiras intenções de Kiev neste período histórico”.

“Mais uma vez, pedimos às autoridades ucranianas que parem de inventar novos acordos, novos documentos e, finalmente, cumpram conscientemente suas obrigações nos termos dos Acordos de Minsk”, enfatizou ela.

Zakharova afirmou que Kiev está tentando encobrir sua inação e sabotagem franca dos acordos alcançados para resolver a situação no leste da Ucrânia, acusando a Rússia.

“Ao mesmo tempo, Kiev está tentando convencer a todos de que Moscou é supostamente parte do conflito e, portanto, tem algumas obrigações sob o pacote de medidas de Minsk”, acrescentou ela.

É improvável que a Ucrânia mude de curso neste ponto, ela tem o apoio da UE e dos EUA e um presumível “plano de paz” que provavelmente fracassará e abrirá o caminho para as hostilidades.

Mapa atualizado da situação no leste da Ucrânia em 13/03/2021

– Em 12 de março, a artilharia UAF alvejou as forças DPR / LPR (rebeldes pró-Russia) perto de Shakhta
– Em 12 de março, as forças DPR / LPR alvejaram as posições das forças UAF com lançadores de granadas perto de Pyshchevyk
– Em 12 de março, a artilharia das forças do DPR / LPR alvejou as posições da UAF perto de Pisky
– Em 12 de março, a artilharia das forças do DPR / LPR alvejou as posições da UAF perto de Pivdenne
– Em 12 de março, um militar ucraniano foi morto nas últimas 24 horas

blank
Créditos na imagem.

Abaixo, vídeos recentes que mostram o envio de equipamento militar pesado, incluíndo carros de combate para o front de Dombass:

  • Com informações ukrinform.net, STF Analysis & Intelligence, AFP e TASS via redação Orbis Defense Europe.

Comments are closed.