Porta-aviões da Marinha Italiana recebe certificação para operações com F-35B

O ITS Cavour também conduziu operações ao lado do USS Gerald R. Ford (CVN 78), marcando a primeiro vez que um navio da classe Gerald R. Ford e da Marinha italiana operaram em conjunto

blank
A visita do Cavour faz parte de uma série de operações ao lado de meios militares dos EUA para obter a certificação "Pronto para Operações" da Marinha italiana para pousar e lançar aeronaves F-35B com segurança,

A nau capitânia da Marinha italiana, o porta-aviões ITS Cavour (CVH 550), partiu da Estação Naval de Norfolk, no dia 16 de abril em direção a sua base na Itália, após realizar operações conjuntas com forças navais dos EUA no Oceano Atlântico.

O ITS Cavour participou de uma sequência de operações com recursos dos EUA, onde o porta-aviões foi certificado pelo F-35 Joint Program Office (JPO). Foi entregue pelo escritório do programa a recomendação de liberação de voo à Marinha italiana, para a operação segura de caças F-35B.

“Estamos muito orgulhosos com o sucesso da campanha ‘Pronto para Operações’ do ITS Cavour”, disse o comandante do ITS Cavour, capitão Giancarlo Ciappina, “Nossos aliados logo perceberão que a Marinha italiana e as Forças Armadas italianas como um todo, são grandes parceiros de cooperação, graças a capacidade estratégica do porta-aviões de operar aeronaves de 5ª geração, o que representa, em operações marítimas específicas ou em operações conjuntas algo mais amplo.”

Uma equipe de teste do F-35 JPO, embarcou no ITS Cavour para realizar testes de mar e atividades funcionais a fim de se criar um envelope operacional de voo seguro para a variante de decolagem curta e aterrissagem vertical (STOVL) da aeronave F-35B a bordo do navio.

A equipe F-35 Pax River Integrated Test Force (ITF) da Naval Air Station Patuxent River, MD, é composta por quase 200 pessoas com experiência em engenharia e voos de teste para conduzir os testes de voo de expansão do envelope do F-35B, que consiste em dois testes de voo de desenvolvimento especialmente instrumentados aeronaves e equipamentos de apoio.

Durante os testes, dois F-35B da ITF foram embarcados a bordo do Cavour e realizaram mais de 50 missões de voo em condições climáticas desafiadoras, uma sessão noturna, cerca de 120 pousos verticais, 115 decolagens curtas com o auxílio do sky jump e duas decolagens verticais.

Essas atividades foram seguidas por uma quantidade suficiente de análise de dados, resultando em informações que contaram ao Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC) e à Marinha italiana como conduzir com segurança as operações de voo do F-35B em Cavour.

“Foi um privilégio trabalhar ao lado de nossos colegas italianos enquanto eles certificavam seu carro-chefe para lançar e recuperar o avançado F-35B”, disse o comandante da 2ª Frota dos EUA, vice-almirante Andrew Lewis. “Espero continuar a construir sobre a nossa ponte transatlântica, melhorando as nossas capacidades coletivas e fortalecendo as parcerias com os nossos aliados da OTAN.”

“É extraordinário como a tripulação do ITS Cavour e a Equipe Integrada alcançaram, tão rapidamente, um nível muito alto de sinergia e integração com grande profissionalismo e uma forte vontade comum de atingir o objetivo ambicioso”, disse Ciappina.

Em coordenação com a Marinha italiana, o USMC MV-22s conduziu as qualificações de desembarque a bordo no convés do porta-aviões italiano ITS Cavour. Esses voos aumentam a interoperabilidade entre o Corpo de Fuzileiros Navais e a Marinha italiana e aumentam o alcance operacional das forças navais. ”

O MV-22 Osprey é uma aeronave multimotor, bipiloto, auto-desdobrável, elevação média, decolagem vertical e pouso com rotor inclinado, projetada para combate, suporte de combate, suporte de serviço de combate e missões de operações especiais em todo o mundo. A principal função da plataforma é o transporte de assalto anfíbio de tropas, equipamentos e suprimentos de navios de assalto e bases terrestres.

Também enquanto operava no Atlântico ocidental, o ITS Cavour colaborou com o destroier de mísseis guiados classe Arleigh Burke, USS Stout (DDG 55). Eles conduziram um exercício de interoperabilidade de três dias com o apoio da Carrier Air Wing (CVW) 7 e Patrol and Reconnaissance Wing (CPRW) 11.

O porta-aviões italiano partiu de Norfolk, após desembarcar o pessoal da ITF antes de concluir a preparação necessária para realizar as últimas fases da campanha pronto para operações antes de retornar à Itália.

O Cavour também foi saudado por uma apresentação da banda das Forças da Frota dos EUA como uma expressão de boa vontade entre as marinhas dos EUA e da Itália.

Durante décadas, o vínculo entre a Europa e a América do Norte tornou a OTAN a aliança mais forte da história. A realização de treinamentos e exercícios ao lado de aliados e parceiros aumenta nossa capacidade e capacidades coletivas, bem como aumenta a interoperabilidade com as forças dos Estados Unidos.

  • Com informações da US Navy
  • Tradução e Adaptação: DefesaTv

Comments are closed.