Presidente Jair Bolsonaro, condecora com Medalha da Vitória a militar da Marinha do Brasil capitã de corveta Marcia Andrade Braga

blank

O presidente da República Jair Bolsonaro, condecorou na última sexta feira (5), a capitã de corveta Marcia Andrade Braga com a Medalha da Vitória. A cerimônia ocorreu no Salão Nobre do Palácio do Planalto, em Brasília (DF). Após receber a homenagem, a militar destacou a importância da mesma.

“Receber a Medalha da Vitória, que tem a ver com a questão da paz, tem uma simbologia muito grande. E ter recebido do presidente da República é uma grande honra como militar, como brasileira. Claro que a questão de ser mulher é um marco, porque nós estamos cada dia mais participando de missões de paz e até mesmo para que sirva de inspiração para que outras mulheres também possam pensar na carreira militar e participar de uma missão na ONU”, afirmou.

blank
Comandante Márcia, após ter sido condecorada

A comandante Marcia é membro da Missão de Paz das Nações Unidas na República Centro-Africana (MINUSCA) e, em março, recebeu o prêmio de Defensora Militar de Gênero da ONU, por seu trabalho realizado como assessora militar na MINUSCA.

Medalha da Vitória

A Medalha da Vitória destina-se a agraciar aqueles que tenham contribuído para a difusão dos feitos dos ex-Combatentes durante a Segunda Guerra Mundial, participado de conflitos internacionais na defesa dos interesses do País, integrado missões de paz, prestado serviços relevantes ou apoiado o Ministério da Defesa no cumprimento de suas missões constitucionais.

  • Com informações do Centro de Comunicação Social da Marinha

14 COMENTÁRIOS

  1. As feministas bem que poderiam parabenizar esse ato tão importante para essa mulher.
    Só que não, foi o Bolso que condecorou, ele é machista, exista, taxista, baixista, eletricista e etc-ista.

  2. O Ten. Cel. que a salvou foi repatriado, não ganhou medalha da ONU e ainda perdeu dinheiro. Outra coisa, pq não dão a medalha da Vitória para todos que participaram de missão de paz. A ONU agracia a todos e o no seu próprio país não há reconhecimento.

  3. Não se trata de termo militar. Se trata de português. Não existe a flexão de gênero nesse caso. E a Capitão de Corveta, é a capitão marvel, é a presidente, etc. Não achei ignorância no comentário, pelo contrário, achei que foi uma tentativa de esclarecer. Mas após anos tendo que ouvir “presidenta”, nada me surpreende.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here