Proxies terroristas da Turquia na Síria atacam com mísseis o QG Russo-Sírio em Idilb

blank
Imagem de captura de tela do vídeo mostrando uma das explosões próxima a base russa no dia do ataque. Imagem via rusvesna.su.

Em Idlib, na Síria, o grupor terrorista “Hay’at Tahrir al-Sham” parece estar consolidando o controle, sem que nem o Exército Árabe Sírio nem seu apoio russo tenham feito qualquer progresso significativo nos últimos dias. Essa falta de progresso se resume ao fato de que eles ainda apoiam o regime de cessar-fogo existente, enquanto a Turquia se recusa a honrar sua responsabilidade e eliminar elementos radicais da região.

Hayat Tahrir al-Sham (HTS) está operando com impunidade cada vez maior, mesmo com os think tanks da administração Biden se esforçando para rebatizá-los como não terroristas e cooperar com eles em empreendimentos futuros.s

Ao mesmo tempo, as patrulhas russo-turcas ao longo da linha de separação em Idlib estão ocorrendo, em grande parte sem problemas, com militantes que desfrutam da proteção turca que realizam ataques em pequena escala, mas regulares, contra o exército sírio e até mesmo contra alvos russos.

Em 7 de fevereiro, no sul de Idlib, em Kafr Nabi, o afiliado da Al-Qaeda, o grupo ” Ansar al-Tawhid”, um aliado do HTS, alvejou uma posição síria e russa, alegando ter matado 11 como resultado. Os militantes em Idlib parecem estar se movendo para fora, com os ataques surgindo muito longe de suas posições iniciais.

A linha de contato e a zona desmilitarizada foram supostamente impostas há algum tempo, mas é claro que é ineficaz para remover a ameaça terrorista. Moscou continua a se esforçar para fazer cumprir o acordo de cessar-fogo, documentando todas as violações e respondendo à maioria delas.

Novamente, em 7 de fevereiro, as forças russas também foram alvejadas, com dois UAVs sendo abatidos em 24 horas. Um foi abatido por militantes afiliados ao HTS nos céus perto de Idlib, enquanto o outro foi abatido pela SDF, provavelmente por ordem dos EUA.

A outra área que está se tornando cada vez mais volátil é o nordeste da Síria, com o SDF se tornando cada vez mais assertivo em suas operações.

blank
Imagem via STF Analysis & Intelligence.

O SDF (Syrian Democratic Forces, os rebeldes anti governo Sírio) continua suas atividades contra o ISIS. Lançou uma operação de vingança contra os terroristas em Deir Ezzor, pela morte de dois oficiais.

Ao mesmo tempo, SDF luta contra as forças turcas e os militantes apoiados pela Turquia na área. Com a queda do drone russo, eles parecem estar sinalizando que não haverá cooperação com ninguém além dos americanos, que não realizaram movimentos nos últimos dias.

Terroristas estão organizando ataques e provocando em toda a Síria, principalmente nas regiões do sul. Eles saem de Idlib ou das áreas controladas pelos EUA no nordeste da Síria.

Israel permaneceu estático nos últimos dias, após um grande ataque aéreo contra as posições iranianas relatadas. Os aliados dos EUA em face da SDF, no entanto, estão causando problemas mais do que suficientes para a SAA 5Syrian Arab Army, o Exército Sírio governamental) e a Rússia.

É provável que o HTS também inicie operações mais assertivas contra a SAA e a Rússia. Nos últimos dias, a administração Biden começou seus esforços para rebatizá-los como um grupo reformado sem terroristas remanescentes.

Além disso, a atividade do ISIS está em alta há muito tempo, e provavelmente não é coincidência que tenha começado assim que Joe Biden e os democratas voltaram ao poder em Washington.

  • Com informações STF Analysis & Intelligence e Syrian Observatory for Human Rights via redação Orbis Defense Europe.