Qual o consumo de um Carro de Combate do Exército Brasileiro?

Carros de Combate (CC) se dividem em várias classes, mas nenhuma delas é maior do que os tanques principais de combate ou Main Battle Tanks (MBT). O Exército Brasileiro (EB) possui alguns modelos do tipo. Os principais são o alemão Leopard 1 e o norte-americano M60 A3, uma versão modernizada do clássico Patton.

Diante do porte gigantesco das Viaturas Blindadas de Combate (VBC – na sigla das Forças Armadas), nos deparamos com uma curiosidade: quanto deve ser o consumo de combustível desses veículos? Acionamos o Centro de Comunicação do Exército Brasileiro (CCOMSEx), que nos ajudou com tal demanda.

O CC Leopard 1 faz cerca de 0,4 km/l, enquanto o CC M60 A3 consome um pouco mais, algo em torno de 0,3 km/l e ambos são movidos a diesel que são armazenados em reservatórios enormes (o M60 tem cerca de 1.400 litros e o Leopard pouco menos de 1.000 litros).

Possuindo uma autonomia que chega a 450 km no caso do Leopard 1, enquanto o M60 chega a 500 km. É uma média de consumo elevadíssima, mas os números não são muito diferentes de outros veículos pesados.

E bota pesado nisso, enquanto o CC Leopard pesa cerca de 42 toneladas, o CC M60 chega a 52 toneladas. Não é mole levar nas costas uma blindagem pesada, com espessura mínima de 10 centímetros. Além de quatro tripulantes e um canhão de 105 mm, entre outras tecnologias.

Além disso, os CC´s possuem motores enormes. O propulsor 10 cilindros original do Leopard tem 37 litros e gera aproximadamente 850 cv, já o M60 conta com motor V12 de 29 litros e 750 cv.

Curiosamente, os motores a diesel ainda são mais econômicos do que a turbina a gás do M1 Abrams, sucessor do M60 no Exército dos Estados Unidos. Já o Leopard foi produzido na Alemanha por várias empresas, inclusive, a Porsche (!). Quanto ao desempenho, o mais leve e potente Leopard 1 faz até 65 km/h na estrada. O M60 chega a 45 km/h.

Este slideshow necessita de JavaScript.



5 COMENTÁRIOS

  1. Existe relatos na segunda guerra que varios veículos de combate novos pouco chegaram a andar e ficaram parados por falta de combustíveis ou pessoal treinado pra manutenção ,toda guerra ainda e combatida e enfrentada por homens a pé com seu fuzil e táticas de guerra ,todos nós sabemos que em tempos de guerra ,combustível e escasso .do que adianta ter essas máquinas se não tem combustível .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below