Ransonware, seu sequestro no mundo virtual

Em 2017, pela Revista Outsider, já comentei sobre esse malware, que sequestra os dados de um computador, criptografa os arquivos e pede um resgate em Bitcoins para receber uma chave para descriptografar estes (leia o artigo completo). Mas atualmente o Ransonware não se resume em sequestrar somente computadores, mas também smartphones, televisores ou qualquer dispositivo conectado a internet; ainda evoluiu para sequestrar redes inteiras de empresas, sistemas de backup, fábricas e órgãos públicos.

Mesmo com ampla divulgação, recentemente aqui no Brasil tivemos duas vítimas relevantes desse malware: a Companhia de Docas do Ceará (CDC) e a prefeitura de Barrinha (SP).

Mas como evitar ser vítima de um ataque de Ransonware?

Parecem dicas óbvias, mas a maior vulnerabilidade dos computadores são seus usuários, que por desatenção ou falta de conhecimento, praticam ações que facilitam a invasão. Vou citar uns cuidados importantes para se tomar:

  • Não clicar em links não verificados
  • Não abrir anexos de e-mail não confiável
  • Faça download de arquivos apenas de sites confiáveis e verificados
  • Evite ao máximo informar dados pessoais
  • Evita plugar unidades USB desconhecidas em seu computador
  • Mantenha seu sistema operacional e programas atualizados
  • Use uma VPN quando usar uma rede wi-fi pública
  • Faça o backup de seus dados com regularidade