Raytheon atualizará radar dos caças F/A-18 C/D Hornet para o padrão AESA

blank

A frota de caças F/A-18 C/D Hornet do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (MARINES), irão receber uma atualização em seus radares. A empresa Raytheon Co. foi contratada para realizar a atualização para o padrão APG-79 (v) 4 radar ativo de varredura eletrônica (AESA), de acordo com nota divulgada pela empresa. O radar é uma versão melhorada do APG-79 AESA, que vem sendo empregado nos Super Hornets e nos EA-18G Growlers. O APG-79 (v) 4, oferece aos pilotos uma consciência situacional adicional, direcionamento de alto desempenho e alcance estendido. O valor do contrato não foi divulgado.

blank“Com os radares AESA, os pilotos e tripulações dos caças inclinam a balança a seu favor sobre seus adversários’, disse Eric Ditmars, vice-presidente da Raytheon Secure Sensor Solutions, em um comunicado. ‘Agora que o APG-79 (v) 4 estarão voando em breve nos Hornet´s, os pilotos do Corpo de Fuzileiros Navais poderão identificar, rastrear e engajar mais alvos a uma distância maior do que nunca. O radar AESA ajuda a alcançar, um melhor desempenho durante missões ar-terra”, disseram funcionários da empresa.

Por exemplo, o mais novo caça F-16V da Lockheed Martin Corp. já vem equipado com uma variante do radar AESA, que fornece capacidades ar-solo semelhante as do F-22 Raptor e do F-35 Lightning II, que são caças 5ª geração. O radar APG-79 (v) 4 também aumenta a capacidade de ataque sobre alvos navais, segundo o comunicado. O Comando de Sistemas Aéreos Navais dos EUA (NAVAIR) enviou uma solicitação para que o radar seja aprimorado até março, de acordo com Janes. A NAVAIR pretende atualizar sete esquadrões de 12 aeronaves cada, com 98 novos radares, além de 14 sistemas de reposição.

blank“Como o APG-79 (v) 4 possui mais de 90% de conformidade com o APG-79, o Corpo de Fuzileiros Navais irá se beneficiar do mesmo caminho para a atualização e sustentação global, já implementado pelo sistema”, explicam fontes da Raytheon. As entregas começarão no próximo ano e devem ser concluídas até 2022. O anúncio desta  atualização é realizado no momento em que, tanto a Marinha, quanto o Corpo de Fuzileiros Navais, planejam sustentar e suprir suas novas frotas de aeronaves com novas tecnologias.

  • Com informações do site Military.com
  • Tradução e Adaptação: DefesaTv

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here