Resistência Nacionalista do Afeganistão rejeita vitória do Talebã e luta continua

blank
Imagens via redes sociais.

A Frente de Resistência Nacional do Afeganistão (NRFA) continua com o conflito contra o Taleban, disse seu porta-voz Ali Nazari no Twitter.

Isso aconteceu menos de um dia depois que o Talibã alegou ter capturado Panjshir em sua totalidade e ter consolidado o controle sobre todo o país. Estranhamente, aA vitória do Talebã no Vale Panjshir aparentemente está sendo mais divulgada pela imprensa internacional que pelo próprio Talebã.

Em 06 de setembro , o Taliban reivindicou a vitória na captura do vale Panjshir. Isso presumivelmente completou sua tomada de controle do país e eles revelariam um novo governo em breve.

Fotos nas redes sociais mostraram membros do Taleban parados em frente ao portão do complexo do governador provincial de Panjshir após dias de luta com a Frente de Resistência Nacional do Afeganistão (NRFA), comandada pelo líder Panjshiri Ahmad Massoud.

“Panjshir, que era o último esconderijo do inimigo fugitivo, foi capturado”, disse o porta-voz do Taleban, Zabihullah Mujahid, em entrevista coletiva.

Massoud não admitiu a derrota, dizendo que sua força, oriunda dos remanescentes do exército regular afegão e também de milícias locais, ainda estava lutando.

“Estamos em Panjshir e nossa Resistência vai continuar”, disse ele no Twitter. Ele também disse que estava seguro, mas não deu detalhes sobre seu paradeiro.

O Taleban garantiu ao povo do vale que não haveria nenhum “ato discriminatório contra eles”. As pessoas que vivem no vale de Panjshir são etnicamente distintas do Talibã.

“Eles são nossos irmãos e trabalhariam juntos para um propósito comum e o bem-estar do país”, disse Mujahid.

Na “nova” governança do Taleban, as universidades estão começando a reabrir com uma nova adição: cortinas separando estudantes homens e mulheres.

No Afeganistão, centenas de instalações médicas correm o risco de fechar porque os doadores ocidentais estão proibidos de lidar com o Taleban, disse um funcionário da Organização Mundial de Saúde.

A OMS está tentando preencher a lacuna fornecendo suprimentos, equipamentos e financiamento para 500 centros de saúde, e está em contato com o Catar para entregas médicas, disse o diretor regional de emergência da agência de saúde da ONU, Rick Brennan.

O embaixador da China no Afeganistão prometeu fornecer ajuda humanitária durante uma reunião com Mawlawi Abdul Salam Hanifi, alto funcionário do Taleban, em Cabul, informou a Tolo.

A China não reconheceu oficialmente o Taleban como os novos governantes do Afeganistão, mas o conselheiro de Estado chinês e ministro das Relações Exteriores, Wang Yi, recebeu no mês passado Mullah Baradar, chefe do gabinete político do grupo, e disse que o mundo deveria guiar o novo governo em vez de pressioná-lo.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e o secretário de Defesa Lloyd Austin, entretanto, encontraram-se com o emir governante do Qatar, o xeque Tamim bin Hamad al-Thani, enquanto Washington busca construir um consenso entre os aliados sobre como responder ao regime do Taleban.

O Taleban afirmou ter ocupado todo o território do Afeganistão nesse final de semana, disse o porta-voz do movimento Zabiullah Mujahid no Twitter.

“O último reduto de mercenários inimigos, a província de Panjshir, está completamente capturado… Os recentes esforços para garantir a segurança total do país também trouxeram resultados, e a província de Panjshir ficou sob o controle total do Emirado Islâmico“, disse ele.

Ele acrescentou que alguns dos rebeldes foram derrotados, e muitos outros fugiram.

Em agosto, tendo como pano de fundo a retirada do contingente americano do país, o Taleban capturou todas as principais cidades e pontos de fronteira e declarou o fim da guerra de vinte anos.

A única província que não estava sob seu controle era Panjshir, a nordeste da capital. Lá – sob a liderança de Ahmad Massoud – as forças de resistência se reuniram.

Mais cedo, o porta-voz do Taleban, Bilal Karimi, disse que a região ficou sob o controle do movimento.

Uma fonte não identificada na sede da polícia de Cabul afirmou que Massoud e o ex-vice-presidente Amrullah Saleh, que se juntou a ele, haviam fugido.

Posteriormente, Saleh negou essa informação, ressaltando que o confronto continua.

Em 5 de setembro, o líder da resistência afegã Ahmad Massoud Jr. expressou sua disposição de manter conversações com o Taleban se o grupo retirar todos os seus combatentes de Panjshir e Andarab.

“A Frente de Resistência Nacional está pronta para interromper a guerra imediatamente a fim de alcançar uma paz estável, se o grupo Taleban encerrar seus ataques e movimentos militares em Panjshir e Andarab”, disse Ahmad Massoud em um comunicado. “A Frente de Resistência Nacional está comprometida em resolver pacificamente as diferenças com o Taleban de acordo com os princípios da religião e moralidade, e está confiante de que o futuro sistema do país funcionará com o Taleban e outros grupos e seitas que representam o povo afegão.”

No entanto, se os relatos forem verdadeiros e o Taleban realmente capturou Panjshir, não há muito o que negociar.

Antes das reivindicações, pelo menos quatro dos sete distritos de Panjshir estavam nas mãos do Taleban. Os combatentes do grupo capturaram Shutal, Paryan, Onaba e Khenj nos últimos três dias.

Mais cedo nesta sexta setembro, as últimas forças anti-Taleban no Afeganistão reconheceu sofrer perdas no campo de batalha consideráveis e apelou para um cessar-fogo, como um top Estados Unidos diplomata voou para Qatar para tentar lidar com o rescaldo caótica da retirada dos EUA.

As forças de resistência, no entanto, estavam à beira do colapso e parecia que era uma questão de tempo antes que caíssem por completo. Teria sido uma bênção para o Taleban ter assegurado um acordo político, mas parece que não foi alcançado.

Abaixo, alguns videos recentes que ilustram mais a situação:

  • Com informações via agências internacionais e  redação Orbis Defense Europe/Genebra e Londres.